segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Sanditon, que final foi esse? Tá loka?

olá.
Ontem foi um dia bem complicado para mim, foi aniversário do dia muito, muito triste em que perdi meu pai. Foi há dois anos, mas poderia ter sido ontem. Planejei o lançamento do meu livro novo, ALL THOSE DUKES, para esse finde na esperança de fazer da data uma fonte de momentos positivos.
"Pense no passado somente se a lembrança lhe trouxer prazer."
pic do kwize
Deu muito certo, não.
Deveria ter feito um monte de propaganda, mas fiquei mesmo na sofrência.
Ainda bem que existe Austen no mundo 
Geralmente me dedico a escrever para limpar o poço de sofrimento, tipo água para o vinho.
makeagif
Ontem não deu nem para isso... Quando emergi da dor, lembrei que o capítulo final de SANDITON havia passado há 2 hs na TV gringa e torci para já estar online. E estava! Ueba!
Só que não...

Eita, foi um tiro de bazooka!

Que final foi esse, Sanditon?
Enloukou?

Entendo - muito bem - que o intuito final é fazer din-din caçando uma segunda temporada, mas deixar tudo mal parado como ficou?... Mal explicado, corrido, aguado, cuspido... Ah! Odiei!
pic do twitter - biscoitos de coração partido: era uma PREMONIÇÃO!
obs.: fiz as fotos enquanto assistia, do cel mirando na TV. Podem estar meio ruins... sorry.

Enfim, como sabem que sou a rainha dos spoilers, vou falar livremente aqui. Vou reclamar, na verdade. Se vc ainda não viu, melhor sair e ler um dos meus romances free ou ebooks.
Lá vou eu: O que me matou não foi a falta de final feliz para Charlotte & Sidney, por mais que eu precisasse de um amorzinho no momento em que me encontrava, mas a maneira tosca que terminaram a minissérie. Ou pausaram, porque desde a semana passada começaram a soltar dicas de que haverá uma segunda temporada.

Vou dizer que de início eu considerei tudo como uma inspiração em Austen, um perfume das obras que gosto e admiro. Nunca acreditei que seria uma adaptação para fazer jus ao legado. Sanditon é um manuscrito muito pequeno, uma apresentação de personagens e sabemos pelo m.o. de Jane que ela gostava de nos enganar em um primeiro momento. Fazer a gente acreditar que Darcy tinha um segredo horroroso quando na verdade ele tinha mágoa guardada. Fez a gente achar Churchill charmoso quando na verdade ele era um escroque cretino besta de titica. Então, como tivemos muito pouco de Sanditon na pena de Austen, acho muito impossível adivinhar o que ela queria contar.

Por isso, vi a minissérie como uma inspiração similar ao que gosto de ler e escrever, meu livro 9 vezes Orgulho & Preconceito está recheado disso. A. DO. RO. Daí, trocar a personalidade de Sidney dita debochado e bem-humorado no manuscrito para carrancudo e bruto, faz parte da estória sendo criada.

Começou bem devagar, com cenas lindas e estória arrastada. Daí chegou no meio e vruuummm, de 0 a 100 em um capítulo!


Tivemos tantas opções bacanas!
- Georgiana com o boy (fuckboy?)
- Esther e Lord Babbington
- Esther & o irmão Edward & a prima Clara
- Lady D fingindo morrer/doente e curada
- Testamento queimado de Lady D
- Stringer, o empreiteiro ambicioso
- Stringer & Charlotte
- Mary Parker parecendo dar ordem no marido
- Tom Parker endividado
- o Médico inovador
- Charlotte que sabia das safadezas de Clara
- Charlotte que trabalhava para Tom
- Parker gorducho de olho na pobre menina rica Georgiana
- Georgiana sequestrada
- Georgiana vendida
- Georgiana levada a força para Gretna Green
- Georgiana tutelada por Sidney, por razão mesmo secreta. O pai dela salvou a vida dele?... e pq ela odeia Sidney?
- Trabalhadores x cavalheiros
- Lady Susan amante do Príncipe Regente
- a Viúva ex de Sidney
- Sidney com olhos brilhantes para a viúva
- Charlotte que se apaixona por quem a trata mal

E aí, do episódio 6 para frente, começamos a correr de verdade matando geral o roteiro e escolhendo manter somente os plots mais rasos. Morri.

Georgiana sumiu na trama. Descobrimos que o boy dela era bonzinho abolicionista, mas jogador de má sorte que falou da namorada rica. Na hora que não conseguiu pagar a dívida, vendeu a localização da garota. Ela foi pega à força. Ela foi salva, ele foi perdoado e esquecido.
Péra!
Ela foi VENDIDA! Uma filha de escrava. Ameaçada de estupro marital depois de casamento forçado. Cacete!!!
E ficou por isso mesmo.
the tvdb

Clara descobriu que os irmãos eram amantes, depois que os amantes eram castos, depois queimou testamento, transou com o Baronete, foi desmascarada e foi embora??? 
Péra!
Poderia, no mínimo, exigir casamento porque o cara a comprometeu - no mato com aquilo-na-mão e no chão que nem Wando cantou.
th tvdb

Comprometimento, por falar nisso, é algo que essa minissérie não se preocupou em momento nenhum. Charlotte fica sozinha com moços solteiros toda hora. Descabelada, na praia, no morro, na casa, na obra, na carruagem, na chuva, na fazenda, na casinha de sapê. Ela está sempre em situação de vulnerabilidade.
Péra!
Não pode, não! Digo, não podia, não! 
twitter
Do Manual de Etiqueta e Polidez para Mulheres, 1860:
"Em viagens: Existem muitas pequenas civilidades que um verdadeiro cavalheiro oferecerá a uma senhora que viaja sozinha, que ela pode aceitar, mesmo de um estranho, com perfeita propriedade; mas, embora tenha o cuidado de agradecê-lo com cortesia, se você aceita ou recusa suas atenções, evite qualquer avanço em relação ao conhecimento. Se ele estiver sentado perto de você e parecer disposto a ser impertinente ou intrusivo em suas atenções ou conversas, abaixe o véu e afaste-se dele, olhando pela janela ou lendo... Ao viajar sozinha, escolha, se possível, um assento ao lado de outra dama ou perto de um senhor idoso. Se seu vizinho parece disposto a conversar, não tenha pressa em aceitar. Tais conhecimentos terminam com a jornada, e uma dama sempre pode se contentar a reduzir o tempo agradavelmente, sem, no mínimo, comprometer sua dignidade.
Como hóspede: Se você não tiver acompanhante, poderá, com perfeita propriedade, pedir ao dono da casa que a acompanhe do hall até a sala de estar e, assim que tiver falado com a anfitriã, agradeça ao anfitrião e solte-o, pois a mesma atenção pode ser requerida por outros. Mais uma vez, quando estiver sozinha, se você encontrar uma amiga no hall, poderá pedir o privilégio de entrar na sala com ela e sua acompanhante; ou, se ela também estiver sozinha, não há impropriedade em duas damas entrando na sala sem a presença de um cavalheiro.
Em lugares de diversão: Não aceite um convite para visitar qualquer lugar de diversão pública, com um cavalheiro com quem você esteja um pouco familiarizado, a menos que haja outra senhora também convidada. Quando jovem, você pode ir com um parente, sem acompanhante, mas não o contrário."

Maria Grace conversa com Kim Rendfeld sobre o período da RegênciaAs mulheres jovens eram protegidas zelosamente por acompanhantes (chaperones). Mulheres jovens e solteiras nunca estavam sozinhas na companhia de um cavalheiro, salvo a família e amigos próximos. Também era necessário um acompanhante para uma jovem solteira participar de qualquer ocasião social. Sob nenhuma circunstância uma dama poderia visitar um cavalheiro sozinha, a menos que o consultasse sobre um assunto profissional ou comercial, e ela nunca se forçou a um aviso prévio. Exceto por uma caminhada até a igreja ou um parque no início da manhã, uma dama não podia andar sozinha. Ela sempre precisava estar acompanhada por outra dama, um homem apropriado ou um servo. Embora uma dama tenha permissão para dirigir sua própria carruagem, se ela deixar a propriedade da família, ela precisará da presença de um acompanhante masculino. Da mesma forma, a cavalo, ela deve trazer um companheiro adequado para proteger sua reputação."
twitter

E Charlotte? Eita, difícil é ela estar com alguma acompanhante... No barco sozinha com Sidney. Na casa dele, na carruagem dele, na praia com ele despido (ok, foi um acidente. Mas ela vagava sozinha), na casa do irmão toda hora.
Com Stringer: visita a casa dele, a obra dele...
Ah, mas é licença poética!...
Tá certo, concordo. Às vezes, enfiar uma acompanhante na cena mata a narrativa. Então tá.


Mas e a saída final da minissérie?
Tem desculpa explicação?
gify
Passo-a-passo
-Sidney se declara para Charlotte dizendo que com ela, ele é um cara melhor, por isso mandou a viúva às favas
-Sidney beija Charlotte no alto do morro
-Sidney fica de olho em Charlotte enquanto ela dança com Stringer
-Charlotte dá um pé em Stringer pq espera o pedido de Sidney
-Charlotte vai encontrar Sidney na bancada do baile
-Sidney começa a fazer o pedido, mas para pq Edward aparece fazendo escândalo
-Sidney vai dar um fim em Edward para Babbington fazer o pedido a Esther
-Começa o incêndio que sacode a cidade
cri-cri-cri-cri-cri-cri-cri-cri-cri
Dia seguinte
cri-cri-cri-cri-cri-cri-cri-cri-cri
-Tom conta que deve 80.000 pilas
- os irmãos Parker juram fidelidade (hein?)
-Sidney vai a Londres ficar uma semana para conseguir grana
-Charlotte espera escrevendo para a irmã (que nunca mandou sinal de vida)
-Sidney volta e avisa que vendeu sua solteirice para a viúva em troca do financiamento de Sanditon.

hein?
Alguém anotou a placa do caminhão?
Da carruagem que nos atropelou?

Que coisa mais mal costurada!!!
Outras muitas opções para salvar Sanditon SEM PRECISAR EXPLICAR/JUSTIFICAR um entendimento entre Sidney e a viúva além do tesão incubado que os unia - e que foi dito estar resolvido:

- Miss Lambe, que é sua tutelada e tem fortuna de 100milhas;
- Lord Babbington, que é seu amigo, noivo de Esther herdeira de Lady D e portanto, tem interesse $$ no sucesso de Sanditon;
- Lady Susan com seus conhecimentos e amizade com o príncipe regente, que adora Charlotte;
✔ vender o corpitcho para a viúva alegre...
tenor
Já rolava um sentimento ali, o fuckboy precisava só de uma desculpa para pular no cangote da viúva. Daí ele fala de 'cumprir sua parte na barganha' do acordo de casamento... Entendi que em troca do din-din dela, ele prometeu rala-e-rola. Odiei essa parte. Ela pode ser vilã, mas é mulher e nenhuma mulher merece isso. Tá errado.
Péra: 
ninguém merece isso, nem homem, nem mulher. Quer grana, faz acordo comercial. Esse tipo de toma-lá-dá-cá num gosto.

Casamento de conveniência é coisa de Austen?
Acho que sim...
Era o que Ms Bingley queria com Darcy, Mrs. Bennet queria que Lizzy casasse com Collins, foi por interesse que Charlotte Lucas casou com ele e que foi a mesma razão do pai não deixar Anne Elliot casar com Wentworth... Lady Susan passa o livro fazendo esquema para isso. Tantos personagens.
Mas, péra:
gify
Acho que o que não tem vibe de Austen é deixar a história no meio, sem nos contar o que houve. Ainda mais casamentos infelizes...
Uma vez li em algum lugar que todos os casamentos que ela mostra são sofrência. Os Bennets, os Hurst, os Dashwood, toda a galera de Mansfield Park, General Tilney de Northanger... Imagina se ela ia perder a chance de nos contar como Sidney foi MISERÁVEL nessa união com a viúva? Ia ficar gordo e bêbado, ouvindo a mulher jogar na cara dele que casou para dar dinheiro a ele, comprou o boy.
Mostraria que Stringer conseguiu vencer na vida, em Londres ou ali mesmo.
Charlotte?... 
Não sei. 
Lady Susan, a migs instantânea, talvez lhe apresentasse um bom partido. 
Olha que plot ótimo! Já até imagino o início de um romance novo... 
Que tal?

Um episódio do PODCAST CAFÉ COM JANE AUSTEN
fazendo uma resenha final de Sanditon...
aqui
Quer mandar seu comentário em audio? Queremos ouvir!
 A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, chapéu e texto

btw, meu livro novo, um 
romance Vitoriano em Inglês está disponível.
Tem até booktrailer...
olha aqui
bj

Nenhum comentário:

Postar um comentário