domingo, 25 de agosto de 2019

Sanditon - um resumo de personagens

Olá!
hoje é um dia feliz em Austen Nation, dia de estreia de seriado caprichado baseado em uma de suas obras! Oba!
SANDITON


Obra inacabada, curtinha, à beira mar, uma pena que ela não teve tempo de terminar... foi seu último trabalho, muito promissor...
Com o zum-zum-zum do lançamento do seriado, muita gente me perguntou que livro era esse. Faz sentido, Sanditon demorou a ser traduzido aqui. Daí, conversei com minhas amigas Darcy e organizamos um resumão carnudo.

Vou postar em duas partes, caso você prefira ler uma coisa ou outra. 
1ª PARTE: PERSONAGENS
2ª PARTE: CAPÍTULOS
Sugiro ler as duas, 
depois ler uma das traduções profissionais. 

Vale a pena, vai ver! Austen afiada, prometendo grandes segredos, mistérios, intrigas e fofocas. E romances com um herói misterioso.


Ao final, coloquei links para download deste resumo GRATUITAMENTE em PDF, KINDLE ou EBOOK.

Aqui estão eles, os ilustres Austenites da beira-mar.


Sanditon
twitter itv
Jane Austen, 1817
Um resumo bem-intencionado por Moira Bianchi em 2019
Revisão de Adriana Salles
Supervisão de Raquel Sallaberry

A princípio, eu pensei em traduzir os 12 capítulos (11,5), mas isso seria trabalho de profissional. Indicamos que leia o original ou traduções profissionais como esta e esta. Austen não é uma autora fácil e amigas especialistas de Austen Nation indicaram a boa ideia de fazer um resumão carnudo recheado de citações e alguns comentários que deixasse claro o tom irônico de Jane.

Lendo com cuidado, Sanditon parece quase amarga. Talvez Jane já estivesse sentindo demais a idade do condor (com dor aqui, com dor ali...). Vemos isso nos doentinhos Parker. Em discussões nos confins Austen Nation, cada Janeite tem uma opinião sobre o estado de espírito que ela deveria estar. Doente sabemos que sim, logo depois ela veio a falecer, mas será que ela achava que sofria de hipocondria ou escreveu sua falta de paciência com doentes imaginários por saber sofrer doenças reais e sem solução?

Sanditon é muito pequena, apresentando apenas os personagens principais e secundários. Quando o enredo começa a se desenvolver – bem no capítulo 12 – ficamos na mão. No entanto, parece que o tema central seria a evolução da sociedade, do velho para o novo. Talvez uma alegoria para a evolução das pessoas. A vila de pescadores deve virar um balneário elegante, mesmo que com muito esforço da parte dos organizadores. Murro em ponta de faca, ela parece dizer.

Por vezes, quando fala das parentalhas da rica, sovina e mal-educada Lady Denham, Sanditon faz pensar em um plano de vingança e cobiça tipo Agatha Christie (nascida somente 73 anos após o falecimento de Austen). Sei lá, um feels...

Enfim, vamos a la playa!
INTRO
Na edição da Gutenberg au, existe esta introdução:
“Sanditon foi a última obra em que Jane Austen trabalhou, e deixou inacabada no momento de sua morte em 18 de julho de 1817. O manuscrito sem título, escrito de próprio punho por Jane Austen, é o rascunho de uma obra de ficção substancial e em evolução. Totaliza... cerca de 24.000 palavras, é talvez um quinto de um romance completo ... James Edward Austen Leigh forneceu o manuscrito preciso sob o título 'The Last Work', na segunda edição de sua Memória de Jane Austen (1871), e RW Chapman publicou a primeira transcrição completa sob o título Fragmento de um romance em 1925 (Fragment of a Novel). No entanto, "Sanditon" parece ter sido um título não oficial usado na família Austen pelo menos a partir de meados do século XIX. Uma edição fac-símile em papel do manuscrito foi publicada em 1975, com uma introdução por BC Southam "

O site Wikipedia diz que ‘a cidade de Sanditon é provavelmente baseada em Worthing onde Austen se hospedou em 1805, quando o balneário começava a ser desenvolvido, em Eastbourne; ou em Bognor Regis, cujo fundador Richard Hotham foi a inspiração para o Sr. Parker.’

Antes da série da Itv (agosto de 2019), já houveram muitas continuações compostas por muitos autores. A mais famosa é a de ‘Jane Austen and another lady’. Mas também tem a de Anna Lefroy, dita sobrinha literária de Jane. Veja esta, esta, esta.


Este resumo teve como base a versão disponível no projeto Gutemberg , visitado em agosto 2019. Procurando online, se acha resumo mais isento, desprovido de comentários, como o do blog Austenprose em Inglês. Mas, neste caso, recomendo ler o original que é bem curtinho.

Personagens 
Descrição segundo (quase todas) palavras de Austen, na ordem de aparição. Quase todas são a visão de Mr. Parker, narrador e apresentador da sociedade para Charlotte. Alguns na opinião dela (Charlotte).
Note como alguns nomes são muito sugestivos, quase autoexplicativos: 
SANDITON – sand + town – cidade de areia
HEYWOOD – hay + wood – feno e madeira
LAMBE – lamb – ovelha, inocência

Mr. Tom Parker e esposa Mary
Cavalheiro de posses, trinta e cinco anos, alto, forte, saudável. Casado e muito feliz no casamento de sete anos, quatro filhos queridos, vindo de uma família respeitável e dono de pequena fortuna fácil, embora adquirida de maneira fácil. Sem profissão - sucedia como filho mais velho à propriedade que duas ou três gerações receberam e acumularam antes dele.
Sujeito boa praça, coração aberto; muito otimista - com mais imaginação do que juízo. Tinha também dois irmãos e duas irmãs - todos solteiros e independentes.
A Sra. Mary Parker, sua esposa, era dócil, mas não conseguia chegar o entusiasmo do marido.

Mr. Heywood
Homem de boa aparência, cavalheiresco, de meia idade, o proprietário do lugar onde os Parkers sofrem o acidente de carruagem – evento que abre o romance. Cultiva feno (hay), pai da heroína, Charlotte

Charlotte Heywood
Uma jovem muito simpática, de vinte e dois anos, a mais velha das filhas em casa e que, obediente à mãe, foi particularmente útil e gentil com os Parkers durante a estadia e convalescência. 
Segue com os Parkers, virtualmente estranhos, para uma temporada em Sanditon esperando viver boas aventuras.

Lady Denham
‘É de altura média, corpulenta, movimentos alertos, ar perspicaz de satisfação, mas não um semblante inaceitável; e embora seus modos fossem bastante francos e abruptos, como de uma pessoa que se valorizava por ser de fala livre, havia um bom humor e cordialidade sobre ela - uma civilidade e prontidão para se familiarizar com a própria Charlotte, e um coração de boas-vindas para seus velhos amigos, os Parkers, que inspiravam a boa vontade.’ Uma senhora muito rica (30mil libras anuais) de setenta anos, havia enterrado dois maridos, conhecia o valor do dinheiro, era muito admirada e tinha parentes pobres vivendo com ela.
Recebera o nome de Miss Brereton quando solteira, nascida na riqueza, mas sem educação. Seu primeiro marido foi Mr. Hollis, dono de grande parte da paróquia de Sanditon, incluindo uma rica propriedade e uma mansão. O segundo marido foi o falecido baronete Sir Harry Denham de Denham Park, da região de Sanditon, que apesar do título, não levou nenhum tostão da viúva já que ela era muito cautelosa com suas finanças. Supunha-se que ela se casara pelo título. Carrega o ressentimento dos herdeiros dos dois maridos falecidos.
Mr. Parker diz: ‘Às vezes há um pouco de auto importância nela, mas não é ofensivo e há momentos, há pontos, quando o amor dela pelo dinheiro é levado muito longe. Mas ela é uma mulher bem-humorada, uma mulher muito bem-humorada - uma vizinha amável e amigável, um caráter valioso, independente e alegre, e seus defeitos podem ser inteiramente imputados à sua falta de educação. Ela tem bom senso natural, mas bastante inculta. Tem uma boa estrutura saudável para uma mulher de setenta anos, e se dedica à melhora de Sanditon com um espírito verdadeiramente admirável. Embora de vez em quando, uma pequenez irá aparecer. Ela não consegue olhar para a frente como eu gostaria e se assusta com uma despesa insignificante do presente sem considerar os retornos que trará em um ou dois anos - teme pensar diferente.’

Sir Edward Denham
Atual baronete, sobrinho do falecido Sir Harry. Constantemente residia com a irmã em Denham Park tentando viver às custas da tia emprestada. Era um pobre para sua posição na sociedade. 
Homem bonito, de modos muito bons e desejo de prestar atenção e agradar. Falante, de ar superior à irmã. ‘O grande objetivo de Sir Edward na vida era ser sedutor.’

Miss Ester Denham
Irmã do baronete, Sir Edward, tinha renda muito pequena. Com o irmão, residia constantemente em Denham Park tentando viver às custas da tia emprestada.
Uma bela jovem, mas fria e reservada, dando a ideia de alguém que tinha orgulho de sua importância social e via sua pobreza com descontentamento.

Miss Clara Brereton 
 ...Charlotte pensava nunca ter visto uma moça mais bonita ou mais interessante.’ e ‘...Elegantemente alta, regularmente bonita, com grande delicadeza de tez e olhos azuis suaves, modos docemente modestos e ainda naturalmente graciosa...’ Parente bela, doce e pobre (outra) de Lady Denham, vinda de Londres desde a Festa de São Miguel (Michaelmas, final de setembro), uns seis meses antes, disputava a herança com Sir Edward.
Amável, educada, gentil, despretensiosa, conduzia-se com grande bom senso, e evidentemente tinha as afeições de sua protetora. 

Andrew (Velho)  Stringer e filho
Comerciantes locais de vegetais e frutas

Hillier
Família de meeiros que trabalha para Mr. Parker

Sidney Parker
Um rapaz muito inteligente, elegante e de habillé na moda, com grande capacidade de agradar, tem presença de espírito. Seu único defeito é viver demais no mundo para fixar residência em um lugar. Vinte sete ou oito anos, muito bonito, com um ar decidido e simpático, semblante animado.
O irmão, Mr. Parker, o idolatra e sonha em levá-lo para Sanditon. Tece muitos elogios a ele, mas às vezes usa ‘preguiçoso’ (idle) e ‘atrevido’ (saucy) quando Sidney não respondia suas cartas.

Susan Parker
Uma dos doentinhos da família Parker. Mr. Parker diz que eles têm problemas de saúde, uma variedade de distúrbios muito sérios. Têm constituições mais fracas que suas mentes fortes. Ela e a irmã são mulheres excelentes, úteis, têm energia e caráter. ‘Onde qualquer bem deve ser feito, elas se esforçam tanto que, para quem não as conhecem completamente, fica uma aparência extraordinária.’
A mais doente das doentinhas. Sofre dos nervos, de dores de cabeça, extrai dentes (como tratamento), sofre sangrias e aplicação de sanguessugas. É magra, desgastada pela doença e pela medicina. Tem um ar mais relaxado e uma voz mais calma que sua irmã.

Diana Parker
Uma dos doentinhos da família Parker. Mr. Parker diz que eles têm problemas de saúde, uma variedade de distúrbios muito sérios. Têm constituições mais fracas que suas mentes fortes. Ela e a irmã são excelentes mulheres, úteis, têm energia e caráter. ‘Onde qualquer bem deve ser feito, elas se esforçam tanto que, para quem não as conhecem completamente, fica uma aparência extraordinária.’
Sabe receitas para todos os males, indica remédios e tratamentos. Alcoviteira. De trinta e quatro anos, estatura média e magra; olhar delicado em vez de doentio; com um rosto agradável e um olhar muito animado. Modos parecidos os do irmão Tom em sua facilidade e franqueza, embora com mais decisão e menos suavidade. Muito ativa.

Arthur Parker
Um dos doentinhos da família Parker. Mr. Parker diz que eles têm problemas de saúde, uma variedade de distúrbios muito sérios. Têm constituições mais fracas que suas mentes fortes.
Tem vinte anos, é quase um inválido e é tão delicado que não pode se dedicar a nenhuma profissão. Sofre de lumbago e tosse, reumatismo, nervos, talvez fosse tísico. Sidney ri dele e suas queixas, pois pessoalmente é alto, robusto, largo e vigoroso apesar da tez pesada.

Mrs. Withby e filho
Bibliotecária, trabalha na livraria. De tão entediada pela falta do que fazer, ela lê os livros da própria livraria. 
Lista de clientes da última temporada: Mrs. Mathews, Miss Mathews, Miss E. Mathews, Miss H. Mathews; Dr. and Mrs. Brown; Mr. Richard Pratt; Tenente Smith R.N.; Capitão Little Limehouse; Mrs. Jane Fisher, Miss Fisher, Miss Scroggs; Reverendo Mr. Hanking; Mr. Beard, Solicitor, Grays Inn; Mrs. Davis and Miss Merryweather.

Mrs. Griffiths
Dona do Seminário de Camberwell que visita Sanditon com 3 moças. Uma mulher gentil e bem-comportada, que se sustentava ao receber e educar meninas e moças.

Miss Lambe 
A jovem herdeira rica, afro-descendente (half-mulatto), das West Indies. De longe a mais importante e preciosa das moças do Seminário Camberwell. 
Tinha cerca de dezessete anos, meio mulata, contida e doce, tinha uma criada própria, saúde frágil e era a primeira preocupação em todos os planos da sra. Griffiths.

Misses Beaufort, duas irmãs

Tinham beleza tolerável, figuras vistosas, modos determinados e olhar seguro; eram muito talentosas e muito ignorantes.


~ continua no resumo dos capítulos ~


faça DOWNLOAD deste resumo completo no formato que preferir




fiz mil pesquisas, muitos links no texto. Todos os videos são da itv postados no twitter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário