segunda-feira, 29 de julho de 2019

SANDITON: o museu de grandes novidades de Jane Austen

Olá!
Com a campanha de divulgação da mini série SANDITON a todo vapor, eu parei para ler o manuscrito com atenção que a última obra de Jane Austen merece. Pela primeira vez li tudinho na sequência,  marcando partes interessantes e buscando referências.


Só vejo os 'six inches deep in mud' das saias de Charlotte! - pic to twitter
Dá uma pena por ser tão curtinha...

O capítulo 12 ficou pela metade, mal vimos o famoso Sidney de quem havíamos ouvido contar pelo irmão mais velho como era bem humorado e espirituoso e debochado. 
Do Capítulo 4, tradução livre minha. Mr. Parker fala do irmão.
"... Sidney diz qualquer coisa, você sabe. Ele sempre disse o que quer, de e para todos nós. A maioria das famílias tem um desses membros, creio eu, senhorita Heywood. Há alguém, na maioria das famílias, privilegiado por habilidades superiores ou espíritos para dizer qualquer coisa. Na nossa, é Sidney, que é um rapaz muito inteligente e com grandes poderes de agradar. Ele vive demais no mundo para se sossegar; essa é sua única falha. Ele está aqui e ali e em todo lugar. Eu gostaria que pudéssemos levá-lo para Sanditon. Eu gostaria de ter você familiarizada com ele. E seria uma coisa boa para o lugar! Um jovem como Sidney, com sua equipage elegante e ar da moda."
Do capítulo 5
"...Sidney é um sujeito atrevido, senhorita Heywood. E você deve saber, ele vai ter uma boa dose de imaginação das queixas das minhas duas irmãs."

um Austen hero com o vozeirão de Theo James!...
Mas li em algum lugar - nem sei mais aonde, porque já li um monte de mil coisas - que Charlotte Heywood terá um romance apimentado com o 'brooding' Sidney. Péra! Brooding, carrancudo, é Mr. Darcy! Sidney deveria ser felizinho como Tilney. Mas no trailer...
e lutando em mangas de camisa!... Aff!

E a família Heywood vive de plantar hay, feno. 
H-A-Y. 
H-E-Y-wood.
Talvez sugerisse que era roceira, matuta, simplória, facilmente impressionável? Como Catherine Morland de Northanger Abbey?...

Também não conhecemos pessoalmente Miss Lambe, a rica herdeira mulata das Índias.


Sim, Austen usou a palavra 'mulatto'.
Como é que é?...
Sim, Miss Charlotte. Jane Austen era phodona desde 1700 e vovó mocinha!


Do Capítulo 11, tradução livre minha
"...Miss Lambe era fora da comparação, a mais importante e preciosa (para a escola interna que as levava para Sanditon), pois pagava em proporção de sua fortuna. Ela tinha cerca de dezessete anos, meio mulata, pouco amistosa e frágil, tinha uma criada própria, deveria receber o melhor quarto na casa alugada e sempre foi a primeira preocupação em todos os planos da Sra. Griffiths (dona da escola)."
O termo usado por Austen é 'half mulatto', mulata clara, morena escura, menina mulher da pele negra, marrom bombom, pele dourada, nós Brazucas.
Mas Miss Lambe é 'a rich West Indian from Surrey' (capítulo 5) e eu achei mapas do início do século XIX mostrando que as Índias Ocidentais iam do que hoje é a Venezuela até a Flórida. Então, era área de nativos, indígenas, primeiros habitantes, local altamente colonizado. Havia muita miscigenação.
maps of the west indies

Nem é novidade pra ninguém que adoro Cazuza, a poesia dele ainda é super atual pra mim. Um museu de grandes novidades me parece ser uma ótima descrição para o que Andrew Davies, o roteirista uó de O&P 95, está preparando para nós.


Erotismo nos homens de Austen
Sim, por favor!
Sei que tem gente que não gosta, mas eu adoro! Acho que Austen dizia muito nas entrelinhas , nos olhares de Darcy e Wentworth, nas reprimendas de Knightley e corredores escuros de Northanger Abbey com Tilney.
No capítulo 12, que é quando tudo parece que ia começar a acontecer mesmo, quando Sidney chega em Sanditon de surpresa, Charlotte vê isso: (tradução livre minha, again)
"...A Srta. Brereton estava sentada, aparentemente com muita compostura - e Sir Edward Denham ao seu lado.
Eles estavam sentados tão perto um do outro e pareciam tão envolvidos em conversa íntima que Charlotte instantaneamente sentiu que não tinha nada a fazer senão recuar e não dizer uma palavra. A privacidade era certamente o seu objetivo. Não podia senão golpeá-la desfavoravelmente em relação a Clara (Brereton); mas a dela era uma situação que não deve ser julgada com severidade.

Ela ficou feliz em perceber que nada fora discernido pela Sra. Parker. Se Charlotte não fosse consideravelmente a mais alta das duas, as fitas brancas da Srta. Brereton poderiam não atraído seus olhos mais atentos. Entre outros pontos de reflexão moralizadora que a visão desse tête-à-tête produziu, Charlotte não pôde deixar de pensar na extrema dificuldade que os amantes secretos devem ter para encontrar um local apropriado para seus encontros roubados. Ali, talvez, eles se considerassem tão perfeitamente seguros da observação; todo o campo aberto diante deles, um banco íngreme e empalidece nunca cruzado pelo pé do homem em suas costas, e uma grande espessura de ar para ajudá-los também! No entanto, aqui ela os tinha visto. Eles eram realmente mal utilizados."

O roteirista já disse que isso será uma cena de sexo. Eita!
Do Telegraph: 'No texto original de Austen, Charlotte espia Denham e uma personagem feminina que parecia "envolvida em uma conversa delicada." Davies transformou isso em uma cena de sexo que terá puristas buscando os sais aromáticos. A cena “risqué” é um lembrete de que o sexo era tão prevalente no século 19 quanto é agora, mas nós erroneamente imaginamos que as pessoas da época eram “muito boas e muito castas para fazer tais coisas”.
"Obviamente, as pessoas enfrentaram todo tipo de travessura".
As cenas nuas de banho seguem as aparições sem camisa de Aidan Turner em Poldark e Tom Bateman em Beecham House.' 

Ainda bem que vários livros da série Cupidos em Devon já estão escritos e registrados na Biblioteca Nacional EDA, ou alguém poderia achar que Austen anda me inspirando mais do que o normal! 
Austen heros tendo encontros às escondidas na floresta quando o cânon diz 'muita compostura', banhos desnudos, lutas... Aff!
Já falei da voz de Theo James?


O Duque Negro de JQuinn
Historicamente incorreto! 
Alguém disse. 
Nem sei quem... 
Mas, lembra daquele raciocínio sobre o tamanho dos pintos em romances? Ninguém quer saber da verdade verdadeira. Por que na verdade verdadeira, mulheres no século XIX não tinham direito a nada e somente algumas poucas tinham alguma chance de ficar com seu próprio dinheiro como Lady Denham aqui de Sanditon. Na maioria, como todas as outras daqui mesmo, iam das mãos dos pais para as mãos dos maridos, para as mãos dos irmãos e rezando para serem homens bons.
A gente já vive a verdade verdadeira...
A crônica da CBilson defende esta visão e mais: fala da hipótese de Bingley negro. Como ele seria aceito por Mrs. Bennet?
EspeculAUSTEN
Bingley negro com dinheiro vindo do comércio com as Indias...
Aliás, o dinheiro de trade de Bingley poderia ter 'origens sujas' como em Mansfield Park? Será ?
Na crônica ela fala dos Blackamoors como negros libertos, mas nas minhas pesquisas só acho a arte - decorativa e joias. Como maneira de denominação, é sempre com conotação pejorativa. (como se objetos e joias mostrando pessoas escravizadas fosse de bom gosto...)
Moor é até mais comum, em tradução simples seria 'mouro' (wiki: termo refere-se principalmente a habitantes muçulmanos do Magrebe, da Península Ibérica, da Sicília e de Malta durante a Idade Média. Os mouros inicialmente eram os berberes indígenas da Magrebina. O nome foi posteriormente aplicado também aos árabes e na Europa, em sentido mais amplo e pejorativo, a todo muçulmano.) 
Black + moor = mouros negros.
conjunto de broche e brincos de ouro Blackamoor tipo do que uma
parenta usou para alfinetar Meghan Markle, lembra? tsk, tsk
pic de cris notti jewels
Daí, pesquisando, achei um estudo sobre nobreza européia negra escondida nas dobras da história. Tem isso? 
Maurits Huygens pintado por Rembrrandt
parece negro?
pic de afro-europe
Segundo o pesquisador holandês negro Egmond Codfried e autor do livro "Avó esquecida de Belle van Zuylen", havia nobreza negra na Europa. Suas alegações são controversas e, claro, refutadas por historiadores. Codfried estudou sistematicamente centenas de pinturas de nobreza famosa e menos famosa. Ele regularmente tropeçou em pessoas que pareciam negras ou de cor, ou apesar de serem brancas, claramente tinham características faciais como lábios espessos ou narizes largos. Perceba que são análises subjetivas... Seu estudo foi inspirado por acaso ao encontrar um retrato de Maria Jacoba van Goor. Temos uma visão dos problemas e dos métodos para identificar esses europeus. Esta bela pintura também foi uma razão para lançar uma visão afrocentria na vida de Belle van Zuylens e suas obras, as biografias na origem de sua fortuna financeira. Através de sua avó de cor, a holandesa Belle van Zuylen (1740-1805) também conhecida como Madame de Charrière, junta-se ao posto de escritores como o russo Alexander Pushkin, o francês Alexander Dumas e Colette, os britânicos Elizabeth Barrett e seu marido Robert Browning, o compositor clássico alemão Ludwig von Beethoven e a rainha Charlotte da Grã-Bretanha. Estes são europeus de grande mérito, que tiveram antepassados ​​negros. Também descobrimos que Belle era uma amiga de Pierre Alexander Du Peyrou (1729-1794), um proprietário de plantação do Suriname de cor marrom e rica na Suíça. Ele é conhecido como um amigo próximo, benfeitor e editor do mais famoso filósofo do Iluminismo, Jean Jaques Rousseau.

Sobre a rainha Charlotte, achei um monte de tanta coisa que vai dar um post só sobre a rainha mestiça - ou half-mulatto. Mmm... Charlotte. half-mulatto. Ah, Jane querida, será que vinha daqui sua inspiração?...
history hustle
Ela voltou às paradas de sucesso por causa da Duquesa de Sussex, Meghan Markle, que tem mãe negra e pai branco. Daí buscou-se a primeira rainha negra - ou bi-racial - da Grã-Bretanha que se casou com o rei George III (reinado de 1760 a 1820). Nascida Sophia Charlotte de Mecklenburg-Strelitz, a princesa alemã tinha 17 anos quando se casou com a monarca britânico de 22 anos seis horas depois de conhecê-lo ao desembarcar na ilha. Eles tiveram 15 filhos juntos, 13 dos quais viveram até a idade adulta.
De acordo com o documentário da PBS Frontline, a rainha Charlotte descende diretamente de um ramo da família real Portuguesa que tinha suas raízes na África. É nóis! Quando o rei de Portugal conquistou em 1200 a cidade de Faro dos mouros - MOORS - a população muçulmana da Península Ibérica, com ligações ao norte da África - ele tomou a filha do governador como amante e acabou tendo três filhos com ela. Pesquisas sugerem que uma dessas crianças casou com a família de Sousa, e dela seis linhas diferentes da nobre portuguesa Margarita de Castro e Sousa, do século XV, até a rainha Charlotte.
Há evidências de que as pessoas naquela época pareciam ter notado que ela parecia ter vindo de uma raça mestiça. O médico pessoal da rainha, Barão Stockmar, descreveu-a como tendo "uma verdadeira cara de mulato" (a true mulatto face), por exemplo.

Especialistas apontam para pinturas dela em que aparecem características mestiças, alguns retratistas como Ramsay famoso na época refletiam a precisão e não a fizeram parecer branca.

também rainha Charlotte... nariz mais fininho, né?
trip savvy
  
Pérola negra

Já falei aqui no blog de algumas histórias notáveis de negros quase esquecidos quando descobri romances históricos de personagens negros. Lá nesse post - Dark Romance - até falava de Shondaland, o site da produtora do seriado dos Bridgertons do Duque Negro de JQuinn (que no livro é branco).
Dido Belle, Antonio the negro, Gustavus Vassa, Sara Bonetta.
pinterest
Estudei o Haiti e Antonio, the negro quando escrevi um dos volumes da série Cupidos em Devon, um muito bacaninha que leva a gangue para a América Antebellum e... fiquei mal por um tempo. Tipo deprê, mesmo. Custei a achar o tom animado e agitado que o romance duplo de irmãos gato-e-rato pedia. 
Escravidão não é bonito. 
Imagino o que Austen guardava na manga...

pena que ela não teve chance de contar.
portrait of a young woman - Liotard
pic de afro-europe
A herdeira rica e doente e... negra
'I don't care to be any man's property.'
um jantar, ela parece que responde perguntas... Será Lizzy 2?
Logo pensei em Ann Walker. Miss Lambe será interpretada por Crystal Clarke, olhe como o figurino é DI-VI-NO.
Charlotte e Miss Lambe
DAILY MAIL
Rica, bonita, doente, feita de gato-e-sapato por todo mundo. Miss Lambe (lamb, ovelha, inocente?...) parece estar a este caminho quando chega a SANDITON para uma temporada com outras garotas da escola de boas maneiras. Miss Parker faz muita questão de convencê-la a tomar banho de mar e Lady Denham quer lhe dar leite de jumenta (para tosse ou se-lá-o-que), mas é dito que ela segue as receitas do médico amigo da família.

É assim no cânon, mas pelo trailer que acabou de sair, ela parece espevitada como Lizzy e... vai sofrer na pele mulatto como é ser o que a gente é. Será que foi isso que Austen pensou em relatar? Nas poucas linhas dos primeiros capítulos, falou-se mais do dinheiro e da doença dela do que de preconceito...
Austen mencionou algo em Mansfield, tinha irmãos na Marinha, será que entraria nessa discussão ou isso é modernidade enfiada no cânon que ela não teve tempo de completar?

Doenças, hipocondria & deboches
Lendo Sanditon, listando tantas e tantas doenças e dores que a família Parker sente e fala e trata, o tempo todo fiquei relacionando a obsessão deles com doenças imaginárias e o estado de saúde de Jane Austen que hoje sabemos estar tão deteriorado a ponto de beirar os meses finais.
JA world
Será que Austen achava, no fundo no fundo, que o que ela tinha era Mr. Woodhousezisse? Que sofria de hipocondria e que ia ficar boa logo? Que ia acabar Sanditon e Watsons? Reescrever Lady Susan como é dito que ela queria?
Ah... só nos resta especular...

Aqui, olha o trailer com texto em Português.

Sr. Heywood: Esses balneários podem ser lugares estranhos. Ninguém sabe quem é quem, de onde vêm, o que estão fazendo.
Charlotte: Isso parece ... estimulante!
Família Heywood: Tchau!
Sr. Heywood: Apenas tenha cuidado, é isso.
Charlotte: Cuidado com o que papai?
Sr. Heywood: Tudo.
-
Sr. Parker: Posso apresentar a senhorita Charlotte Heywood?
Sir Edward Denham: Encantado em conhecê-la, srta. Heywood.
Lady Denham: E sem dúvida eles mandaram você a Sanditon para achar uma fortuna.
Sr. Parker: Ela é uma velha assustadora, mas segura o destino de Sanditon em suas mãos.
-
Lady Denham: Você não pode evitar.
Charlotte: Evitar o que?
Lady Denham: Falar o que pensa, defende suas próprias ideias.
Miss Lambe: Eu não tenho intenção de ser propriedade de homem algum.
Lady Denham: Você é uma jovem muito teimosa, srta. Lambe.
Charlotte: Eu espero que você não tenha má impressão de mim.
Sidney Parker: Má impressão de você? Eu não me importo com o que você pensa ou como se sente.
Esther Denham: No final das contas, acho que você vai se arrepender de ter colocado o pé em Sanditon. Acontece comigo.
-
Charlotte: Eu pensei que você me considerasse má influência?

Sidney Parker: É possível que tenhamos os dois nos enganado?

Na Bienal, vou lançar outro livro AUSTENEITE, uma boa desculpa para visitar os amigos de Pemberley over and over and over!... 9 VEZES ORGULHO E PRECONCEITO

Já à venda!
bj

Pesquisei aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário