& Moira Bianchi: Setembro 2021

quarta-feira, 29 de setembro de 2021

Diário da adoção de uma gatinha

 olá!

Nós estamos super atarefados aqui porque adotamos uma gatinha de rua!

figurinha repetida completa álbum, sim!

Mas que loucura! 

Vocês já têm um gato adulto.

A adaptação é infernal!

Vocês vão viver com gatos brigando em casa!

Olha, até agora o que está nos dando mais fofura é a relação do gato adulto com a gatinha filhote... um show de amor!

Vou te contar com detalhes, tipo um diário para ajudar quem, como nós, entra nessa jornada e se sente muito inseguro. Frustrados até...

Como o post da cirurgia de Nelson (o nosso gato adulto) por comer linha, acho que este post também pode ajudar alguém.

dia 0-2

tudo começou na quarta-feira, dia 15-set-21. Meu marido chegou em casa dizendo que tinha aparecido uma gatinha no restaurante que fica na portaria do prédio nosso escritório. 'Igualzinha ao nosso gato!' 

Pelo tom de voz dele, eu percebi que ele já estava apaixonado



dia 0-1

quinta-feira, dia 16-set

Eu e meu filho fomos ver a tal gatinha.

Um mimo, muito pequena, a cara do nosso gato, suja, magra e arisca!

sentamos no chão para falar com ela e de princípio ela até aceitou carinho. Mas quando tentei pegar, ela deu um piti, me mordeu, arranhou e até rasgou meu vestido.

Desistimos. 

Como teríamos uma fera dessa em casa?

No fundo, eu fui enrolada pelo pessoal aqui de casa. Porque começou um chororô pela coitada da gatinha feroz. 'Ela está dormindo na rua, em motores de carro, atravessa a rua toda hora, coitada...' Eu estava fazendo a Quaresma de São Miguel Arcanjo e me senti culpada por deixar a criatura morrer.

dia 0

comecei a estudar COMO ADOTAR O SEGUNDO GATO

Como sempre, sigo o Jackson Galaxy, ele é show. Assisti esse video aqui, aqui e aqui, e avisei pro pessoal que seria trabalhoso. Desistimos. Voltamos atrás. Desistimos.

dia 1

sábado, dia 18-set

Decidimos pegar a gatinha! Demos um nome a ela: Lady Emma porque nosso gato é Almirante Nelson, homenagem ao marinheiro Inglês que derrotou Napoleão na batalha marítima de Trafalgar. Logo, uma fêmea só poderia ser homenagem à bela Emma, Lady Hamilton, o grande amor de Nelson.

Acordei pelo avesso, algo que comi me fez super mal, mas segui com o plano. 

Na hora do almoço, rumei para o restaurante munida de caixa de gato, manta com o cheiro do meu gato, comida, comedouro, filho, o escambal.

E olha a frustração!...

a gatinha fugiu de nós.

Pode ter sido o barulho, o lugar cheio, o cheiro na caixa, sei lá. Mas ela veio até nós, comeu todo o sachê Whiskas (não me julgue. Aqui em casa com nosso gato, comida úmida só esse big mac. As caras ele deixa estragar no comedouro.) Bem, a gatinha encheu a barriguinha e sumiu, provavelmente foi dormir no esconderijo onde ela se sentia segura. 

E nós?... voltamos para casa de mãos vazias e coração partido. O pessoal do restaurante prometeu tentar pegá-la e nos chamar.

Nos ligaram às 20hs: Emma estava na caixa!

Não na nossa, na de outra pessoa da redondeza, mas estava segura e era nossa. Uma fera! Ganindo, acuada, puta da vida. E riscando fósforo direto!

Dali fomos direto para o vet que estava para começar uma cirurgia, mas tentou tirá-la da caixa para fazer um exame preliminar e lau! Ficou todo moído, arranhado, mordido, ela fugiu pela clínica, foi um auê.

Trouxemos para casa do jeito que ela estava, ele mandou que lhe desse comida, água e sossego. No domingo ele a veria com calma.

Em casa, cuidamos para Nelson nem ver a caixa entrar em casa e levei direto para o safe place que eu preparei o banheiro da suite para ela com caminha, água, comida seca (ração Golden para filhotes, a mesma que Nelson come, só que para castrados), liteira (Pipi cat, a mesma que Nelson usa, como pipi aqui) e até um brinquedinho. Ela nem saiu da caixa.

Para Nelson, a diferença foi passar a comer no corredor, bem perto da porta do meu quarto para ir acostumando a ligar o cheiro de comida e a barriga cheia com o cheiro da Emma.

dia 2

domingo, dia 19-set


Eu ainda estava bem mals do estômago, mas deitei no chão pra conversar com ela que ainda estava dentro da caixa. Ela ouviu sem ganir, sem atacar, mas muito acuada.

No vet, ela foi dopada para ser examinada. O vet fez exame de sangue para FIV (Imunodeficiência felina ou AIDS felina) e FeLV (Leucemia felina), cortou unhas, deu um banho e fez uma geral. Ela está ótima! Não tem nada, só falta um dentinho no meio - nem quero pensar como ela perdeu esse dentinho.



Uma pluma, 2,5kg, pelo fininho como cabelo de bebê.

O vet aprovou o plano do Jackson Galaxy para apresentar os gatos e fomos para casa com receita de vermífugo e remédio de pulgas (que ela não tinha, mas como ia ficar na mesma casa com outro gato...)

custo: R$ 382,50 (consulta + testes FIV-FeLV)

orientação: dar remédios de pulgas, vermífugo e esperar para vacinar e castrar por conta de todos os remédios que ela precisará tomar e alguém (eu!) vai precisar dar goela abaixo

Em casa, eu consegui tirá-la da caixa, segurei um momentinho no colo, mas ela logo achou esconderijo no banheiro da suite onde era o safe place dela. Continuamos a usar o banheiro, mas sem importunar ela que ficou em um nicho do armário, acuada e arredia. 

Mas comeu e muito! Bebeu água, fez xixi na caixa de areia - ufa!!, mas não interagiu conosco.

E taca de riscar fósforo...

dia 3

Ela ainda ficou acuada, mas já aceitou investigar o banheiro. 

Aproveitei e passei a dar comida a ela na porta do meu quarto. Assim, cada um dos gatos comia ao mesmo tempo, um de cada lado da porta fechada. Dei sachê de big mac, queria que desse certo!

O dia correu com ela acuada, mas aceitando um pouco de carinho que ela respondia amassando pãozinho, uma fofura grande demais! Mas riscando fósforo sempre que se sentia acuada.

À noite, consegui levar ela para nossa cama e ela aceitou investigar os móveis, estante, cama, travesseiros. Mas era só bobear para riscar fósforo.

Mantive a comida perto da porta para os dois gatos.

dia 4

Meu filho distraiu Nelson e trocamos os dois: Emma foi investigar a casa e Nelson a suite que tinha o cheiro da gatinha. Correu tudo bem, ela ficou eufórica, ele ficou muito desconfiado.

Deixei assim até que um deles reclamasse -foi Nelson.

E... para nos mostrar que eles são gatos e não burros, se encontraram pela janela fechada! hahaha Temos jardineiras nas janelas onde Nelson gosta de pegar sol, então quando ele raciocinou que tinha algo diferente na suite, ele deu a volta pelos quartos e foi até a janela na horinha que ela estava na bancada! 

Para nosso alívio, foi tudo bem. sem stress e sem fósforos. Ufa!



dia 5

como deu certo na janela e já estávamos de saco cheio de ficar isolados com um gato, depois com o outro, resolvemos unir os dois. Foi bem devagar, abrindo a porta aos poucos, enchendo os dois de biscoitos, brincando com laser e... Deu certo!

Se encararam, ficaram curiosos, mas se gostaram.

Igualzinho Emma e o Almirante Nelson de verdade

Conosco, ela ainda mal aceitava contado. Foge e risca fósforo.

Nelson começou a vomitar.


dia 6

a catástrofe

como estavam insistindo aqui, comprei os remédios de pulgas - advocate - para colocar na nuca dos dois. Ele é muito peludo, então oleozinho foi logo absolvido. Mas nela que é um fiapo com pelinho fino, o óleo escorreu e ela lambeu. Entrei em pânico tentando pegá-la para limpar ou colocar uma coleira de gaze e aí é que deu merda.

Ela fugiu acuada, a gente tentou pegar, corre daqui, corre dali e... ela conseguiu sair pela rede da janela da área de serviço! Meu Deus, 6 andares de altura!

Muito assustada, ela passou a escalar a rede por fora, eu me apavorei, meu filho congelou, Nelson congelou, ela gania, só meu marido conseguiu ficar calmo. Durou uma vida toda, eu vi a gatinha cair e morrer umas mil vezes, tive que sair de perto para ir rezar - Se foi São Miguel quem me convenceu a adotá-la, o Arcanjo não ia deixar a gatinha morrer. 

Meu marido conseguiu abrir um pedaço da rede e puxar ela para dentro. Ficou com a mão toda lascada. mordia, arranhada. Ela sumiu pela casa, eu fiquei magoada mesmo sabendo que era idiotice.

Pelo resto do dia eu cuidei de comida, areia, água, mas não puxei papo com ela.

Dali voltamos ao dia 1, ela ainda arredia e fugida. 

Nelson ainda vomitando, pesquisei e é mesmo pela emoção de ganhar uma amiga. Entrei com a medicação que ele já tinha tomado para o estômago: gaviz 10mg. Ainda tinhamos 3 comprimidos aqui sobrados do Natal quando as crianças encheram ele de sorvete, então resolvi dar um por dia.

dia 8


continuamos no esquema um passo para frente, dois passos para trás. Hora ela aceita um carinho, outra hora ela risca fósforo.

Voltei ao Jackson Galaxy e ele explica que é assim mesmo com gatos adotados e assustados. Os avanços são milimétricos. Como ele mandou, bloqueie os esconderijos dela, só deixei a toca (que era um cesto de roupas roubado pelo Nelson em um dia de faxina)

Passei a colocar comida e sentar na cozinha para falar enquanto ela come de forma a acostumar a barriga cheia com minha voz.

Mas depois que ela me deu o sustão, passei a usar o spray para controlar os fósforos. Muito mal educada, nossa Emma! Se faz fósforo, lá vai jato de água!

Nelson ainda vomitou um pouco, era o último comprimido de omeprazol gatos, então eu decidi que se ele não melhorasse, eu ia levar no vet.

dia 10

Nelson parou de vomitar, está ótimo, mais calmo, felizinho. Até já peguei ele dando saltos enormes para impressionar a gatinha! ahahah

Os gatos se dão tão bem que dormem na mesma cama, comem juntos no mesmo bowl - ao mesmo tempo até - usam a mesma leiteira apesar de ter duas e ficam sempre juntos.

Confesso que estamos frustrados porque queremos dar carinho a ela como damos ao Nelson. Ele fica sempre no nosso colo, deita junto, brinca, reclama. Emma só fica pelos cantos olhando de olhos arregalados.

Mas vamos aos poucos, controlando os fósforos e ganhando um milímetro de confiança a cada dia

dia 12

Dia de São Miguel arcanjo. Quem como Deus? Ninguém!

Resolvi deitar no chão e esticar a mão para fazer carinho nela quando Emma se enfia na toca. Ela até aceita, mas se encolhe no fundo do cesto.

Acho melhor tirar esse esconderijo também...

Lady Emma, a tigresa!

Dia 14
Emma começou a falar! 
Ah, que miadinho mais fininho... muito fofo. 
Primeiro foi para chamar Nelson que estava comigo, ela veio pertinho, sem correr nem se encolher. Depois foi quando eu estava cochilando, já passava das 23h, e o comedouro estava vazio. Gulosa que é, veio pedir comida.
Também, quando eu sentei no sofá para jantar vendo o último capítulo de Round 6, ela veio até mim. Acho que foi o cheiro de arroz e peito de frango que ela comia de sobra do restaurante onde vivia.
Vamos que vamos.

Dia 18
Emma e eu tivemos um bate-boca daqueles!
Ela riscou fósforo para mim, tomei um mega susto, fiquei p da vida e gritei com ela. Ela riscou de novo e me deu as costas, eu fui atrás e gritei mais, enfim, foi um barraco! 
Que coisa horrível, vc vira uma porta em casa e lá vem o shshshsh! Logo pra mim que faço tudo pra ela! Oras!
Com Nelson, ela é só amor. Tão chata quanto a Felicia do desenho, anda colada nele - colada mesmo! Pelo com pelo!

Dia 20
Começamos a dar floral para Emma, e Nelson também já que os dois comem juntos - as vezes na mesma hora. Estamos misturando comida de baby e de castrado, uma bagunça!
Comprei floral na American Pet, mas tinha a mesma marca mais barata no meu bairro, só descobri depois.
Escolhemos o Florais das Gerais n° 5 resgate e tristeza. Coloquei na água e as vezes na comida. Duas gotinhas. O site diz 3 meses de tratamento.
Vamos ver.

Dia 25
Emma está bem melhor... deita comigo na cama para brincar de caçar meu pé sob o edredon, não foge quando passamos pela casa, reduziu os fósforos e até permite um micro cafune de vez em quando.
Fala muito! E tem paixão pelo Nelson.
Acho que os florais estão ajudando... ou será só o tempo mesmo?

Dia 32
O dia foi frio e chuvoso, os dois gatos passaram o dia colados e implicando um com o outro. Emma chega perto, Nelson reclama, eu separo os dois e tudo recomeça. Mas, na hora de dormir, Emma subiu na minha cama e me deixou fazer carinho por um tempão!!! Uma fofa! Deu barriga, rabo, queixo, nariz, tudo!
O pelo dela já está bem melhor, muito mais macio do que quando ela chegou. Acho que é a ração que hoje abandonamos a de filhotes e ficamos só com a de castrado porque Nelson come do bowl dela direto.
Ah, foi fofo!
E 10min depois meu filho pegou Emma em cima da pia da cozinha (o que é totalmente proibido), brigou com ela, ela riscou fósforo, foi um salseiro... 
Um passo pra frente, dois prá trás... aff!

Dia 40
Olha isso!!!

Dia 42
Emma apareceu com um bolinho de linha na boca! Ai. Meu. Deus!
Se você já leu o post sobre a cirurgia de Nelson, você sabe o desespero que me deu! Saí atrás dela, ela fugiu, isso e aquilo e eu consegui prender ela no chão para tirar a linha da boca.
Aí ela me fez isso...

E muitos outros arranhões pequenos.
Foi uma crise aqui em casa, meu marido queria dar a gatinha para uma ONG... Mas aos poucos acalmamos.

Uma coisa te digo: é um processo longo e cansativo. Bem frustrante também. 

Dia 48
Hoje eu consegui pegar Emma pelas patinhas dianteiras para um cheiro nariz com nariz, levantei do chão mesmo!
Ela estava de olhão arregalado, mas aceitou o carinho sem mostrar unhas. Ueba!

Dia 74
Já conseguimos pegar Emma no colo por 5 segundos por vez! 
Ela já pede carinho, mas ainda tem medo. Tem ótima relação com Nelson, come bem, brinca, está a vontade conosco.

E vamos que vamos!...

Vou tentar fazer updates aqui.


Se você tiver dicas para mim, eu quero!

Me conta aqui nos comentários ou por mail.



bjs