sábado, 23 de setembro de 2017

Seeds of love

Hello there,
It's been a while since I've posted in English because of the Book fair and all. But now, today, I'm here watching Rock in Rio on my Tv, first time ever I'm not there, and tonight it's Tears for fears.
Man, what a ride down memory lane!
Not only because they are old - you know how I bother with getting old - but I'm experiencing something so new...
When they were a hit and I were a teen learning English, I struggled with their lyrics loving their rhythm. I remember having trouble with 'pale shelter'... huh... *fond smirk* 😏 
You don't give me love,
You give me pale shelter...
It didn't add up to my twelve, thirteen year old girlish being. Now... 
Now it gives me a whole story behind it.
Isn't it funny?
Am I old or wise or verbose or nostalgic or what?


terça-feira, 12 de setembro de 2017

Último final de semana de Bienal

Acabou... que pena!
A gente fica um tempão planejando a Bienal, o que lançar, com quem falar, quem conhecer, onde encontrar, dias para ir e até roupas para usar e de repente: acabou!
Mas já? 
*suspiro triste*
Em retrospecto, o último final de semana foi assim:
já, já posto o link desta entrevista tão bacana!

pena...


família reunida:
Princesas e JAFFs
tanto amor!


autoras da 'Querida Jane Austen'
Vânia e Lu Viter



Adoro melancia!








E aqui todos os queridos livríneos que estavam na Bienal e que agora estão enchendo os corações de muitos leitores por aí...
Muito orgulho de mim!




o box das Princesas Possíveis


bye, bye Bienal!
Até 2019!


segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Chá Romances Históricos na Bienal

Foi muito legal! 
Eu fiquei muito lisonjeada de ter sido convidada a fazer parte deste 'chá' que não teve a bebida, mas teve os saquinhos e as amêndoas e o carinho digno dos chás mais fofos que já se viu.
As outras autoras já têm romances históricos em Português publicados - tanto auto-publicados de forma independente e por editoras - enquanto eu tenho só em Inglês. Mas parece que quando as ideias são boas e as estrelas brilham, os céus convergem... Nem tinha falado com ninguém dos meus projetos para 2018 ainda e...
olha só:
já fechei o primeiro draft... 
está show!
projetos novos são sempre tão excitantes!...
e um puxa outro, uma corrente...


O chá na Bienal foi... Inusitado. No meio do ti-ti-ti, um zum-zum-zum, totalmente demais!
Aconchegante apesar do barulho da tal arena sem filtro por perto, acredito se quiser!
Bacana demais! Quem foi se divertiu muito!



Obrigada pelo convite, Bianca e Lia!!!


as 4 autoras!


e mais uma autora nacional, claro que eu ia abraçar!
Imagina se não!

Internacional e phynna!


Foi show!
Assim como toda Bienal, muito show!

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Banalizando a Bienal

olá,
venho aqui fazer um lamento. Acho que esse é o termo certo. Lamento.
Curto muito participar da Bienal como Autora, muito mais do que como leitora. Sempre achei que a feira era uma 'loja grande' onde pouco se festejava a literatura e só passei a curtir mesmo depois que vi meus livríneos expostos lá.
Daí, no meio do burburinho dos autores famosos, engarrafamento para entrar, um monte de gente, sabe o que se vê? Pessoas com sacolinha das lojas de R$ 5,00 - uma sacolinha cada, e 'oh! corre-para-autógrafo-do-autor-famoso-gringo'. Onde está 'gringo' pode-se facilmente ler 'youtuber' ou 'da web' ou 'da moda'. Whatever.
Bacana, curti.
Mesmo.
Acho que a Bienal é para isso. Também.
Mas, na minha opinião, não deveria ser só para isso.

Olha que coisa triste...


Quem já ouviu isso:
'Nossa, eu AMO romance histórico.' '
Só leio Julia Quinn e Loretta Chase!' 
'Fiquei 4 horas na fila de autógrafos da romancista histórica na última Bienal!' 

Nada disso foi por essa modelo vestida de roupa de época nem por Machado de Assis. Triste, né?
Eu já tinha feito selfie com o cartaz da campanha logo que vi, Dom Casmurro é uma das minhas paixonites literárias de adolescência, e de longe vi a moça sozinha (sem óculos sou meio cegueta...). Cheguei perto:
´És Capitu?' Perguntei.
Ela estava de testa franzida e balançou a cabeça.
'Podemos fazer uma selfie?'
´Claro.'
Morri de felicidade! Imagina: eu e Capitu juntas!!! Só faltava o malucão do Bentinho olhando de lado!
'Se você postar com as hashtags da campanha, ganha um brinde.' Ela disse.
'Faço agora! Ia fazer mesmo!' Sorri que nem boba.
Orgulhosa como estava, postei todas as mils hashtags imediatamente. E Capitu? Ficou sozinha...

Dali fui com uma amiga no stand do meu livro 'Querida Jane Austen' que fica logo em frente à Capitu e de lá olhei para ela. Advinha?

Uma criança...
Provavelmente se perguntasse para essa moça passando tão feliz em estar na Bienal: 'Sabe quem é Machado de Assis?' ela não responderia. Ou pior, 'Aquela ali, ó, é Capitu. Sabe quem é?' Será que ela reconheceria os olhos de ressaca? Teria opinião sobre o adultério?

Daí você está pensando que sou chata. Eu sou chata mesmo. Confesso.
Acho que Bienal deveria ser para martelar e repetir e massacrar na cabeça de todo mundo quem foi Machadinho, Eça, Nelson, Clarice, Drummond, José de Alencar, Cecília. Deveríamos estar aproveitando o espaço para apresentar aos nossos pequenos a 'Canção dos sapatinhos' e aos nossos adolescentes as tramoias de 'Aurélia'. 
Quer YA mais apaixonante que Senhora?
Sem falar no meu querido 'Ladeira da Saudade'...
CLARO que a produção contemporânea tem valor, hellooo! Olha eu aqui! Mas isso é Bienal da Literatura. É Internacional, ok. Mas é aqui! Vê se nos EUA ou na França ou no Reino Unido tem isso? Não podemos curtir o novo e o gringo enquanto festejamos a nossa herança maravilhosa?

Daí dirigi para casa pensando nisso e no Fantástico da Globo (pode revirar os olhos) vi um programa sobre Nelson Rodrigues fazendo isso... Discutindo e rindo e analisando a obra. Falei na hora com meu hubs: 'Isso deveria estar acontecendo lá na Bienal!

Meu filho, por exemplo, ficou mega-super-feliz de conseguir autógrafo e bate-papo com os gamers de minecraft que ele gosta. É menino do século 21, faz parte do universo dele. E faz parte da minha responsabilidade ensinar que a Bienal é uma experiência plural, que não é só comprar: é ver os livros da mamãe, ver os ídolos, pegar fila, autógrafos e por fim, comprar o que não se encontra facilmente fora da feira.
Mas queria ter mais para ensinar.
Pena...

Para terminar, aqui estão meus achados.


Isso mesmo! 2 cru-crus


500 páginas, R$ 29,00.
Sabe por quanto sairia se eu fosse fazer um livro assim? 
Muitas vezes esse valor.

Vamos que vamos,
Ainda temos uma semana inteirinha de Bienal...
Ueba!!!

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Bienalizando

Olá,
Juntei snippets do primeiro fim de semana, um pouquinho do que é a loucura de Bienal tudo-ao-mesmo-tempo-agora!
Até pensei em postar live ou no final de sábado, mas não dá. Veja minha expressão no início do dia e no final... acabada! 
E olha que só fiquei umas horinhas... Imagina quem fica o dia todo, todo dia?
Muitas das fotos são do InstaStories, estou postando direto lá. Pode acompanhar live se preferir!

Alguém passou e me chamou na hora da selfie! :D

Só nozes!
Mira que guapas!

coisa fofa!


Elisabeth Colega de stand!

Estava passando e olha só! Capitu em pessoa! Nem acreditei!
E estava sozinha, ninguém fazendo fila para fazer foto com ela...
Sorriu comigo porque fiz festa, mas tinha mesmo os olhos de ressaca, meio enfezada...
Ah, Capitulina...

Quer o livríneo lindo 'Querida Jane Austen' ?
É com ela, Beca!!!
Stand P16, pavilhão verde, pertinho da Arena #semFiltro
(stand é verde também, não tem como não ver!)

Coisa linda é receber visita marcada de longe...
Adooooro! <3

Autora linda amiga de stand...
Sempre fica perfume nas mãos que oferecem flores!

Amiga-beta-Darcy friend-autora-mochileira

Vale ou não vale todo o esforço?


E enquanto isso... A Princesa 4 está indo de vento em popa!!