sexta-feira, 24 de julho de 2020

Amarelo, inspiração no século 19

Olá!
Existe um ditado assim: 'O que seria do mau gosto se não fosse o amarelo?' 
Já ouviu? Sempre me faz rir, que petulância desqualificar a cor do sol, da riqueza, da alegria!


AMARELO

Manuais Vitorianos dizem que 'amarelo é a cor mais próxima da luz e mais brilhante, sozinha ou em combinação com outras cores. Via de regra, amarelo vivo deve ser pouco usado em um vestido; dê preferência aos tons ouro, primrose, maize. É especialmente belo em trajes de primavera e início da verão.
Amarelo simboliza inveja e outras paixões malignas, mas o efeito na mente é de alegria, luminosidade, agradabilidade. A cor também é usada para expressar a riqueza outonal e a própria estação em suas matizes de marrons.'
INVEJA!
tinha até me esquecido disso!...


Na cromoterapia, amarelo significa felicidade na vida, está ligado à maneira como nos relacionamos com outras pessoas e é conhecido por ter efeitos positivos sobre os músculos, fortalecendo-os. E cromoterapia vem sendo estudada desde o ano de 1025!
Segundo a milenar medicina ayurvédica, amarelo está ligado ao chacra do plexo solar, cuida de órgãos internos como fígado, estômago e intestinos. Também reduz dor muscular e inflamações.
Mas tem gente que detesta roupa amarela...
E no réveillon, a calcinha amarela traz riqueza para o ano novo, né?
Corset amarelo será que conta também?...
Amarelo é cor da moda desde sempre, possivelmente desde a Idade do Ferro (500-322 aC). Tem tantas fontes quanto o vermelho e azul como já falei, muitas naturais e fáceis como cebola, açafrão, romã. Dois corantes amarelos brilhantes tiveram grande importância comercial na Europa do século 18, ambos com origem no Novo mundo - as Américas: quercitrônio da casca interna do carvalho preto oriental (Quercus velutina), e fústico da amoreira do tintureiro (Maclura tinctoria ). Depois, corantes sintéticos foram descobertos e produzidos em larga escala, como já mencionei em outro post de cores - a anilina amarela começou a ser comercializada em 1864, por exemplo - mas ainda os naturais tinha grande peso. Até hoje é fácil encontrar receitas de passo a passo para tingir em casa usando produtos natureba.

Falando dos antigamentes, na moda rococó do século 18, a popularidade das roupas amarelas estavam intimamente ligadas à influência da China em muitas áreas da vida e da cultura. Lá a cor era ligada à felicidade, glória e sabedoria; também à quinta direção 'o meio'. Sob a influência da corte francesa, os trajes amarelos também eram uma manifestação do estilo de vida porque era então associada ao otimismo e aos prazeres terrenos, chama atenção e por isso é usada para diversão. Ou seria o inverso? 
Da influência da China também veio o tecido 'Nankeen' de algodão simples, amarelado e muito durável. Calças (breeches) de gentlemen eram feitas de nankeen que de tão popular ganhou genéricos: tecido de algodão comum tingido de amarelinho.

Portrait of the Marquise D'Aguirandes, 1759. FH Drouais. Cleveland museum of art 

Durante a Era Vitoriana no século 19, o amarelo era muito popular pela luminosidade. Nas tonalidades variavam principalmente dos tons manteiga, amarelo limão, mostarda, ouro era usado em vestidos diurnos, de noite e trajes para a beira-mar. Revistas de moda e especialistas em cores da época recomendavam restringir o amarelo claro e brilhante à primavera e verão. No entanto, tons de amarelo podiam ser vistos em roupas da moda durante todo o ano, geralmente na forma de luvas, leque decorativo, um guarda-sol com babados ou um chapéu impressionante.
manual Vitoriano 'Color in dress' dita as seguintes possíveis harmonias:
- amarelo com vermelho e preto
- amarelo com escarlate e azul 
- amarelo com escarlate e roxo
- amarelo com escarlate, azul e preto
- amarelo com escarlate, branco e preto
- amarelo com escarlate, verde e azul
- amarelo com escarlate, azul e marrom
- amarelo com roxo/violeta/lilás
- amarelo com azul - mas é uma combinação fria
- amarelo com castanho, marrom ou chocolate
- amarelo com vermelho
- amarelo com escarlate
- amarelo com branco - mas é uma combinação pobre
- amarelo com preto
- amarelo com verde
the attic Jezebel

Historical Sewing me contou que: 
'as ilustrações de moda do século 19 eram pintadas à mão 
pelas leitoras das revistas em suas casas e 
cada uma escolhia as cores que ela gostava. 
É por isso que você verá o mesmo modelo apresentado em cores diferentes.' 
Eu não sabia disso!!



Corantes amarelos
Corantes minerais
Corantes minerais são encontrados na superfície da terra e em minas, para amarelo é a limonita. As rochas são pulverizadas para serem usadas dissolvidas em água ou óleo. Por serem de natureza inorgânica e não degradarem ao longo do tempo, como corantes de plantas ou animais, têm vida longa se forem protegidos.


Corantes vegetais
Corantes vegetais são feitos de folhas, cascas ou raízes de árvores e plantas. Eles eram os mais usados na antiguidade, pois eram os mais fáceis de encontrar e desenvolver. Os corantes mais comuns eram feitos de açafrão. O amarelo é talvez um dos corantes mais fáceis de obter naturalmente de uma variedade de fontes, incluindo casca de cebola, atum, chá frio, ruibarbo, erva-de-São-Marcos (tanaceto, atanásia, Palminha), camomila tintureira e de tintureira verde.
Os principais corantes para tingir de amarelo são a casca de árvores, o fústico (mais permanente) e o quercitrônio (que dá as tonalidades mais bonitas), mas sempre precisam de mordentes. O pano, portanto, antes de ser tingido de amarelo, deve ser imerso em alumina, óxido de estanho, tártaro, sulfato de cal e até mesmo sulfato de ferro. 


On line, hoje em dia conseguimos receitas para tingir em casa os mais diferentes tipos de tecido: lã, seda, algodão e linho. Como as técnicas são simples, são bastante parecidas com as do século 19. Para extrair o corante amarelo das plantas, elas devem ser picadas e colocadas de molho por 24 horas, depois fervidas. Só então as roupas devem ser mergulhadas por várias horas na solução resultante.


Algumas técnicas que consigo ver as criadas fazendo, lá na propriedade do Duque, do Conde e tal:

Açafrão
O açafrão é um gênero da família da íris. A maioria floresce como prenúncio da primavera durante os meses finais do inverno. 
O açafrão amarelo, que é abundante, produz um banho de corante quando as pétalas são fervidas com água.

Alfafa, sementes 
A alfafa, parecida com trevo, é uma leguminosa com um sistema radicular profundo.
As sementes podem ser colhidas fazer criar um banho de corante amarelo quando fervidas em água.


Bardana
As plantas têm folhas verde-escuras que são lanosas por baixo. As rebarbas de sementes dessas plantas capturam a pele de animais e roupas humanas; foi ela que inspirou a criação do velcro!
Essas mesmas rebarbas quando fervidas com água tornam-se um banho de corante amarelo.

Bérberis, casca
Bérberis tem folhagem muitas vezes vermelha escura, mas estão disponíveis variedades de folhas verde-limão. O arbusto tem espinhos que devem ser manuseados com cuidado.
Para obter um corante amarelo, adicione a casca de bérberis em um banho de água fervente.

Cebola
A cebola amarela é saborosa e usada na alimentação de muitas culturas. As cascas são de um amarelo dourado e, quando fervidas em quantidade com água e inseridas em alúmen, produzem um corante amarelo a laranja escuro.

Erva-de-São-Marcos
Erva-de-São-Marcos é uma planta herbácea perene da família aster, conhecido como botões amargos, vaca amarga, artemísia ou botões dourados. Tornou-se uma erva invasora em muitas áreas.
As flores produzirão um banho de corante amarelo quando combinadas com água fervente.

Girassol
O girassol é assim nomeado por sua capacidade de acompanhar o sol no decorrer de um dia. 
Para criar um banho de corante amarelo, use toda a cabeça da flor enquanto estiver fresca. Misture com água fervente para extrair o corante. Não espere até as sementes de girassol secarem.

Louro, folhas 
 O loureiro era muito importante em muitas mitologias antigas que glorificam a árvore como um símbolo de honra. As folhas de louro são usadas frescas ou secas na culinária por seu sabor e fragrância distintos. 
As mesmas folhas podem ser usadas para produzir um banho de corante amarelo com água fervente.

Narciso
Narciso é um bulbo de flores da primavera na família Amaryllis. A tradicional flor de narciso do folclore, da poesia e do campo é amarela a amarela dourada. 
Para produzir um corante amarelo, use as cabeças das flores depois que elas secarem com um mordente de alume em água fervente.

Nogueira, folhas 
As flores de nogueira são pequenos amentilhos verde-amarelo produzidos na primavera. A fruta é uma noz oval envolvida em uma casca de quatro válvulas, que se abre na maturidade.
As folhas produzem um espetáculo amarelo brilhante no outono e, se cozidas em grande quantidade com água salgada, produzem um corante amarelo brilhante.

Pessegueiro, folhas 
Enquanto o fruto do pessegueiro costuma ser o prêmio, são as folhas que produzem um banho de corante amarelo quando fervidas na água.

Salsão
O aipo/salsão é amplamente cultivada para saborear sopas, ensopados e comer crus. As folhas de aipo faziam parte das guirlandas encontradas no túmulo do faraó Tutancâmon (morto em 1323 aC).
Essas mesmas folhas de aipo podem ser fervidas com água para criar um banho de corante amarelo.

Uma rápida pesquisa e você encontrará várias outras fontes e receitas para tingir, como essa mandala bacana aqui. 
E muitas fontes históricas comprovando a popularidade do tom. 
Ainda mais, grande surpresa para mim, foi receber a capa do meu novo livro da SÉRIE CUPIDOS EM DEVON, o volume 3 'DILEMAS EM LEILÃO'. Tão bela capa com o guapíssimo Kin em mangas de camisa admirando um céu... amarelo!

Não foi à toa que enrolei tanto para postar esta cor!
Até a próxima!
M.

Mais estudos dos antigamentes apaixonantes aqui.

 










































Nenhum comentário:

Postar um comentário