terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

Minha Darcy friend Rita Watts, embaixadora Austen

Olá!

Hoje tenho a ótima companhia de uma amiga
huffpost

Uma amiga especial porque é
DARCY FRIEND

Foi Jane Austen quem me apresentou Rita, meu primeiro livro na verdade. Ela leu 'Friendship of a special kind', gostou, falou comigo e quando ela veio ao Rio, a gente se encontrou. Já faz um tempão, nunca perdemos contato, nos falamos sempre!
Ela mora fora há muito tempo, é Janeite desde sempre, embaixadora da Jane Austen Literacy Foundation e habitué dos festivas Ingleses.
Organizamos um papo - tipo uma entrevista - porque nunca é demais aumentar nosso círculo de amizades em Austen Nation, né non?
Rita no Jane Austen Parade for Literacy 2019

Moira: Oi, Rita! Me conta... Há quanto tempo mora fora do Brasil? 
Rita: Eu moro nos Estados Unidos desde 2001. Quase vinte anos! Credo! O tempo passa muito rápido. Morei na Inglaterra também mas somente por um ano letivo. Antes de vir para os EUA.

M: E foi morando fora que conheceu JA? 
R: Não, de jeito nenhum. Eu li Orgulho e Preconceito com uns 12 anos de idade e amei. Só que na época não tinha ideia de quem era Austen. Depois fiz Letras e a conheci "oficialmente", mas mesmo assim foi um contato rápido e decepcionante pois a professora obviamente não era fã e falou mais de outros autores do que da Jane. Claro que o fato de na época não existir adaptações ao nosso alcance fez diferença. A geração mais nova tem muita sorte.

M: Sua primeira obra de JA é sua preferida? 
R: Orgulho e Preconceito é tipo aqueles livros que você levaria pra uma ilha deserta (se só pudesse levar um). Todos são maravilhosos, claro. Se pudesse levar três, levaria Persuasão e Razão e Sensibilidade também. Emma é o mais interessante da parte acadêmica, mas não me identifico com ela. 
twitter
M: Ah, eu adoro Emma! Acho que todas nós mulheres temos uma fase de dona-da-verdade! Algumas nunca amadurecem... tsk, tsk
R: Me identifico mais com Elizabeth Bennet e Anne Elliot, apesar das duas serem muito diferentes. Igual aos signos do zodíaco. Você tem seu signo e o seu ascendente. Então sou um pouco das duas.
Rita com Caroline Knight, sobrinha-neta em 5º grau de Jane Austen
M: Eu sou Janeite fã de O&P, você é Janeite de outro nível! Dona do ALL THINGS JANE AUSTEN blog e páginas dedicadas a JA super bombadas e... Embaixadora da Jane Austen Literacy Foundation! Quanta honra, parabéns! Me fala da Fundação Jane Austen para Alfabetização. E como virou embaixadora? 
R: Eu recebi esta honra da Caroline Knight porque eu ajudo a divulgar tudo que a fundação faz na minha página do Facebook que tem mais de 45 mil seguidores. Mas qualquer pessoa pode se tornar embaixadora da fundação. Basta arrecadar ou doar uma pequena quantidade de dinheiro por ano.  


M: O passeio do vídeo (aqui em baixo), onde foi, quando? E usar vestidos de cintura alta, com bonnet e tudo?
R: Foi o Jane Austen Parade for Literacy em Chawton (da casa onde ela morou até a mansão do irmão onde tinha a biblioteca que ela usava), e teve a presença da Jane Bennet da série de 1995, Susannah Harker que também é embaixadora da Fundação. Essa foi minha segunda vez em Alton (onde fica Chawton Cottage - casa da Jane que virou museu).  A primeira foi mais emocionante porque foi no aniversário dela, 16 de dezembro. A segunda vez foi especial também porque foi durante a Regency Week, geralmente uma das últimas semanas de junho dedicada a ela e que toda a cidade participa, muita gente viaja pra lá por causa dos eventos. Tem concertos, picnics, palestras, feira onde se pode comprar coisas maravilhosas como o meu  lindo "bonnet" azul que você pode ver no vídeo com a Alison Larkin.

Anota aí: esse ano, 2020, será dia 21 de junho

M: Eita, deve ser super emocionante! Usou caleçon também? 
R: Ainda não cheguei nesse nível mas um dia... quem sabe?

M: Sei que gosta de costurar... Você fez o modelito? 
R: Eu desenhei o modelito depois de achar essa gola de crochet super antiga nos guardados da minha mãe. Fiquei encantada! Já estava querendo um vestido estampadinho como a gente vê nas adaptacões, perfeito para o picnic nos gramados de Chawton House (a mansão do irmão da Jane - Edward Knight). O vestido foi feito no Brasil onde tem mais costureiras (e com preço mais em conta também, claro). 


M: Tem o molde pra passar prazamigas? 
R: Infelizmente não tenho molde mas tem links na internet para baixar ou comprar muitos tipos de molde. Principalmente no Etsy. Amazon tem com certeza.

M: Esse ano você vai ao bicentenário do festival de Bath? Tem dicas pra quem vai daqui?
R: O plano é de ir a Bath esse ano. Já estive lá 3 vezes mas nunca durante um festival. Será maravilhoso se eu conseguir. Prometo fazer vídeos e tirar fotos prazamigas...rsrs

M: Miga, obrigadissima pela paciência e informações tão bacanas de Austen Nation. 
R: O prazer é todo meu. Eu que agraceço porque o que mais gostaria é de inspirar as Janeites Brasileiras a fazerem vestidos (sem medo de ser feliz) e dançar pelo Brasil a fora! Temos tantos lugares antigos e lindos...


Olha Rita falando sobre Austen na Parade de 2019
logo antes da caminhada começar. Como embaixadora,
ela deveria ir na frente.


transcrição:
Alison Larkin: Diga aos nossos espectadores e ouvintes quem você é.
Rita: Bem, eu sou Rita Watts, eu corro a página do Facebook ALL THINGS JANE AUSTEN, e eu também tenho a mesma conta no Twitter e Instagram. Felizmente, tenho cerca de 45 mil seguidores, foi um acidente, sério!

A: Bem, é uma página fantástica e você fala sobre tudo o que Jane Austen.
R: Tudo de Jane Austen, tudo relacionado à Inglaterra, moda da era da Regência, os livros que ela poder ter lido, tudo o que ela poderia ter feito, e também mulheres que contribuíram para nossa sociedade da melhor maneira que ela.

A: E quando conversamos, porque na verdade eu conheci Rita no evento da JASNA (Jane Austen Society of North America) em Boston. Eu estava fazendo um discurso lá e Rita era a outra embaixadora da Fundação de Alfabetização Jane Austen (Jane Austen Literacy Foundation) e conversamos sobre uma das coisas que ela adora, que é como Jane Austen é, na verdade, essas não são heroínas comuns. Elas são ... embora ... seja um particular diferente ...
R: Inovadoras.
A: Sim.
R: Eles lutam contra o status quo da época, Jane preferiu ficar solteira para poder controlar seu próprio dinheiro. O dinheiro iria para o marido e eles teriam controle sobre ele.
A: Sim.
R: E ela disse: tudo isso tem minha caneta.
QUOTEFANCY
A: Sim.
R: Eu não preciso me casar.
A: Foi mesmo.
R: É quase injusto quando as pessoas dizem que ela apenas fala de romance e casamentos. Isso não é ela, há muito mais ...
A: Sim.
R: ... em Jane.
A: Uma das coisas que mais gosto em Jane Austen é que mulheres muito fortes, brilhantes e inteligentes como você-
R: Obrigado!
A: São inspiradas pela carreira dela, quero dizer, ela realmente se auto-publicou no começo.
R: Ela fez.
A: E ela era uma mulher de negócios. Ela era uma...
R: Ela era! Quando seu irmão Henry ficou doente, ela se encarregou da publicação.

Rita e Alison falam de self publishing, auto-publicação, de AustenEm 1803, ela vendeu os direitos da primeira versão da Abadia de Northanger (chamada Susan) a uma editora de Londres, mas o primeiro de seus romances a ser publicado foi Razão e Sensibilidade, publicado às suas próprias custas $$ em 1811. Em uma época em que as mulheres não tinham poder legal para assinar contratos e precisavam  um representante masculino, através de seu irmão Henry, o editor Thomas Egerton concordou em publicar R&S, que, como todos os romances de Jane Austen, exceto Orgulho e Preconceito, foi publicado "sob encomenda", ou seja, por risco financeiro do autor.  
Ao publicar por comissão, os editores aumentam os custos da publicação que se pagam à medida que os livros são vendidos e cobram uma comissão de 10% por cada livro vendido, pagando o restante ao autor.  Se um romance não recuperasse seus custos por meio de vendas, o autor era responsável pelas cópias não-vendidas.  A alternativa era a venda dos direitos autorais, onde o autor recebia um pagamento único da editora pelo manuscrito, o que ocorreu com O&P.  
A experiência de Austen com Susan (o manuscrito que se tornou a Abadia de Northanger) foi ruim. Ela vendeu os direitos autorais para a editora Crosby & Sons por 10 libras, e o livro não foi publicado, forçando-a a recomprar a obra para publicar seu trabalho.  
Com as muitas reimpressões de R&S ela 140 libras, o que lhe proporcionou alguma independência financeira e psicológica.  Após esse sucesso, todos os seus livros subsequentes foram anunciados como escritos "pela autora de R&S" e o nome de Austen nunca apareceu em seus livros durante sua vida.  
Egerton publicou O&P em janeiro de 1813, depois de comprar os direitos autorais por 110 libras.  Wiki diz que, se Austen vendesse o Orgulho e o Preconceito 'sob comissão' ou seja, auto-publicado, ela obteria um lucro de 475 libras, ou duas vezes a renda anual de seu pai.
Uma transição significativa em sua reputação póstuma ocorreu em 1833, quando seus romances foram republicados na série Standard Novels de Richard Bentley, ilustrada por Ferdinand Pickering, e vendida como um conjunto.
wiki
Eles gradualmente ganharam elogios e caíram no gosto popular.  Em 1869, cinquenta e dois anos após sua morte, a publicação de Memórias de Jane Austen, por seu sobrinho, introduziu uma versão convincente de sua carreira de escritora e vida. Hoje sabemos que ele editou a tia, contou só coisas boas.


Assim que é, né?
Nada de ranhetice e fofocas...



 Siga a Rita 

>> outras curiosidades & pesquisas históricas, aqui

E meus livros novos são esses...
romance de época em Português

romance continuação de O&P em Inglês

Nenhum comentário:

Postar um comentário