sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Jane Austen em números

olá,
de vez em quando alguém consegue organizar a vida da gente de maneira tão bacana que a gente pensa: como eu nunca consegui fazer isso antes?

O jornal 'The Guardian' organizou Austen em números - gente, que máximo! 
É daquelas coisas tão bonitinhas e bem feitas que a gente tem que imprimir e laminar para carregar na carteira com os documentos. 
Eu amei tudo.

Mas como está em inglês, tirei uns minutinhos e traduzi.
É TUDO OBRA DO GUARDIAN, eles têm todo o crédito! Aqui está o original que postei no Pinterest. As traduções são só uma brincadeirinha. 
Divirtam-se!














Não é o máximo!
The Guardian rocks!

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Bienal do Rio 2017

Olá!
Estamos a 6 semana da Bienal do Rio 2017 e a ansiedade está começando a tomar conta!
Minha participação está confirmada, de novo estarei em parceria com a PerSe, uma ótima editora on demand. Sou fã da Bia.



Este ano vou levar só títulos em Português, olha só:
3 Austen comemorando o Bicentenário com seus marcadores e mimos como adesivos, selos, etc.




As 6 Princesas Possíveis que estarão disponíveis em single ou no box... 



O BOX não sei se posto aqui ou se guardo para ser surpresa... o que acham? Vai ser artesanal, bem bacaninha tipo glove e provavelmente terá seu próprio marcador. Tão linda! Digna de uma Princesa...
aqui está o BOOKTRAILER para esquentar os motores...

Todos os títulos estarão disponíveis em pouquíssimas unidades. E infelizmente, não terei reposição antes do Natal quando o box sairá oficialmente - na Bienal ele sairá em versão 'bootleg', então, se quiser essa gracinha, vai lá!




Se não quiser, mas tiver tempo para um papo, vai lá me ver!...
Vou estar na Bienal todos os finais de semana, sábados e domingos à tarde.

E tem mais!...



Comprando o livro, marque comigo para autógrafos, flyer e adesivos comemorativos do Bicentenário de Austen!





Te encontro lá?
bj

quinta-feira, 20 de julho de 2017

There is no enjoyment like reading for £12

Hello,
We continue to celebrate de bicentenary - in fact, i'll be celebrating 'till next July with more books and stuff - but here's one of the big stars: the new 10!


It's already a must have to all Janeites and it's only coming out next Semptember... Just like the stamps, this note will be something to be proud of having but refusing to display so it doesn't fade its colors... Only it's money, right?

Here in Brazil it's worth 4x more... No one said Austen didn't have extraordinary value! haha



The note itself is lovely, has so many cool features like the oh-so-lovely 'JA' hologram... 

Here it is in close up (in case you aren't already fed up with it)
And the official release video - I loved it!



Let me say that Ms Bingley's words DO NOT upset me in the least! It come out of Austen's pen after all and the irony is priceless! The queen of refined irony got a quote about the enjoyement of reading by a character who dispises reading... It's genius!

Miss Bingley's attention was quite as much engaged in watching Mr. Darcy's progress through his book, as in reading her own; and she was perpetually either making some inquiry, or looking at his page. She could not win him, however, to any conversation; he merely answered her question, and read on. At length, quite exhausted by the attempt to be amused with her own book, which she had only chosen because it was the second volume of his, she gave a great yawn and said, ``How pleasant it is to spend an evening in this way! I declare after all there is no enjoyment like reading! How much sooner one tires of any thing than of a book! -- When I have a house of my own, I shall be miserable if I have not an excellent library.''

Janeites will get the joke. 
I loved it!


Wondering why the £12 above? Here she is!...

A coin! *sigh*




I NEED these two very valuable tokens to put in a neat cute box... 
NEED IT NOW!

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Tô no volume 1 da revista LITERAUSTEN

olá,
200 anos não é bolinho, temos mesmo que celebrar!



E olha que grata surpresa: minha palestra do Encontro Nacional JASBRA de 2013 virou um paper muito bacana, muito completinho e sério sobre o valor e o poder das fanfics - em especial de Orgulho & Preconceito- entrou no volume 1 da novíssima revista LITERAUSTEN.



Bacana, né? Tem cara de (Austen, há!) de revista literária daquelas de tiragem suuuper selecionada... 

Uma honra, só o créme de la créme, estou super feliz.
Disponível para leitura on line e download aqui.




Corre para ler, tem tanta coisa interessante sobre ela...
bj

terça-feira, 18 de julho de 2017

Jane Austen faz 200 anos hoje! Olha elaaa!!!

Hoje são 200 anos que ela se foi, mas nem parece!
Ela está tão presente no (meu) dia-a-dia quanto minhas amigas mais próximas!
Obrigada, Jane Austen 
por toda inspiração que me traz desde que conheci Lizzy Bennet e Darcy e a implicância entre eles.


E comemorando, lá na Inglaterra hoje foi inaugurada uma estátua em bronze em tamanho real. Escura não dá para ver muito bem, aqui está o molde em gesso.




Pequena Jane, né?
Distraída, andando no vento... Pensando em quem? Darcy, Wentworth, Tilney?...

Thank you, Jane Austen!

Today we celebrate the Bicentenary! Yay!
Somehow this post feels like a deja vu... Anyway, 200 years of death seems like a sad thing to celebrate but like Austen said herself:

'Let other pens dwell on pain and misery.'

I've already said countless times here and everywhere that I met her through S&S and the Dashwood's sweet disposition killed me. Maybe because I don't have a good relation with my sister, I could never understand them - neither how they interact between them nor with their half brother. 
But then, when I read Lizzy Bennet it was love at first line! I loved the character so much that it was possible for me to appreciate Austen's witt and irony.
I do think we - women - all have a touch of Emma in us that we let come to life at one point in our lives and frequently are embarassed to admit. Same as Lady Susan, ha! Love that woman. 
And there is Tilney and Wentworth, Churchill and Bertram, so many people we consider relatives already...
I can only say,
Thank you, Jane Austen, 
for the inspiration that comes with the adoration and admiration.

200 years are nothing, you're here!

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Entrevista para o 'Adaptações de Jane Austen'

Olá,
estou na maior expectativa para o lançamento da Antologia  'Querida Jane Austen, uma homenagem' que vai ser agora sábado dia 15 de julho da Livraria Martins Fontes da Av Paulista em SP - se for ou estiver em Sampa, vai lá me ver!.
Sabem que fujo desses eventos tipo meet & greet, mas nesse tenho o respaldo das outras 10 autoras lindas e talentosas...


A expectativa por esse livro tão bacana também é de quem gosta de Austen e celebra esse data tão delicada, 200 anos de seu falecimento. 

A página de Facebook 'Adaptações de Jane Austen' é um lugar que adoro, recomendo, e me pediram para falar um pouco desse experiência.
Ficou assim:

Adaptações de Jane Austen: Livro novo na área, fala um pouco sobre do que se trata essa adaptação/homenagem em lembrança aos 200 anos da morte de Jane Austen? 
Moira: É um projeto muito delicado que celebra o Bicentenário de saudade. Faz mais de um ano que ele vem sendo aprimorado, passou por muitas fases e evoluiu para chegar nessa configuração que engloba contos inspirados (adaptações e sequels) e artigos. Um presente de fãs para fãs, homenagem sincera.

ADJA: O que podemos esperar de diferente nesse livro? Moira:Espere dor nas bochechas do sorriso que não vai te abandonar! É Austen para todos os gostos: os sóbrios, os modernos, os históricos, os puristas, os sonhadores... Tem Orgulho e Preconceito, Persuasão, Abadia de Northanger, Razão e Sensibilidade, um mashup divertido, culinária, indumentária e posicionamento histórico: um pouco de tudo! Procuramos deixar claro o quanto Austen ainda, 200 anos depois de seu falecimento, nos inspira.

ADJA:Sua contribuição é sobre qual história? Soube que vai ter além do clássico Orgulho e Preconceito, Persuasão. As outras histórias ganharam atenção?
Moira: Quando a Kat Salles me convidou para fazer parte da Antologia, eu já estava com a cabeça nos contos de fadas elaborando minha primeira série off Austen – Princesas Possíveis; mas você sabe que eu e Austen temos um caso de amor eterno... Não resisti. Aceitei na hora e depois fiquei pensando por onde visitaria o universo Austen novamente... e pronto! Exatamente isso: uma visita!



Meu conto é ‘Pera, uva, maçã ou salada mista?’ onde acompanhamos Lenny (foi o nome mais próximo de Lizzy que a mãe dela conseguiu) em um final de semana visitando a Regência Inglesa em um feriado temático no Vale do Café Carioca. Tudo junto e misturado? É uma salada mesmo!... Um passeio de O&P a Lady Susan, de Emma a Fanny Price, de Mr. Tilney a Mr De Courcy; coisa para quem é Janeite procurar pistas e identificar as obras famosas de Austen. Quem ainda não foi mordido pelo mosquitinho do amor por Darcy & cia, se prepara!

ADJA:Dessa vez, além de escrever sua parte você também desempenhou outras funções. Conta pra gente qual foi?
Moira: Ah, minha função principal foi curtir meu amor pela obra que Jane Austen nos deixou. Acompanhei Kat Salles na caminhada, auxiliei Vânia Nunes na organização, mas acima de tudo estou me divertindo com amigas queridas discutindo nossos livros favoritos. Outro dia, depois do livro enviado para gráfica, sabadão de tarde, ficamos eu e Raquel Cavalcanti discutindo ardentemente se Darcy era tímido ou prego. Quem leu ’45 dias na Europa com Sr. Darcy’ sabe minha opinião! ;)

ADJA:Como foi a experiência... Melhor momento, e o mais difícil? 
Moira: Só tem coisa boa! Imagina: Autora favorita + amigas + livro + romances!
Para mim que sou autora indie, ser contratada por uma editora está sendo uma baita novidade. Só tem gente boa na Bezz, e o selo Leque Rosa é um luxo, estou achando tudo incrível. Em Agosto quando o livro chegar nas livrarias, te conto da emoção de ver um livro meu nas prateleiras!...

ADJA: Algum trecho favorito que queira ou possa compartilhar? Pode ser só uma frase! 
Moira: "Tudo tão sigiloso no Leque Rosa... Olha só esse trechinho roubado (e editado):
---
Na hora do chá...
‘Gostou do bolinho, Sr. Delgado?’
‘É tolerável, acredito.’
Lenny prendeu um sorriso nos lábios e olhou para cima. Um Sr. Darcy! Que delícia!
Na hora do jantar...
Oh, decepção!
‘A sopa foi tolerável, acredito. Mas não o suficiente-’
‘Para me fazer vomitar.’ Lenny resmungou baixinho na borda da sua taça de vinho e o Darcy fake levantou uma sobrancelha para ela.
‘Não achou a sopa tolerável, Srta. Bulcão?’
‘Tolerável, senhor, é uma palavra muito corriqueira.’ Devolveu a provocação. ‘Desde a hora do chá já ouvi quatro vezes.’ Levantou a mão coberta pela luva branca contando nos dedos. ‘Para os cupcakes de papo de anjo, para o pôr do sol, para as acomodações e para a sopa.’ Deu de ombros. ‘Acredito que hajam outras opiniões no mundo.’
Ele franziu a testa. ‘Talvez outras perguntas também?’

---
Ih... Se ela acha que é Lizzy, estará esse Darcy fake à sua altura?..."

ADJA: Pra quem se interessar, o livro já entrou em pré-venda pelo site da editora. Vai ser possível comprar em alguma outra plataforma? 
Moira: Sim. No site da editora está nessa promoção incrível de R$ 23,34 – número que parece uma senha! – Mas também está na Amazon em brochura e e-book.
No dia 15 de julho, eu e outras autoras (somos 13) estaremos no lançamento da livraria Martins Fontes da Av. Paulista em São Paulo. Quem quiser comprar cópias autografadas e ganhar os mimos, vai lá conversar conosco!

ADJA: Recadinho parar os curtidores da página?
Moira:É um livro de colecionador, biscoito fino, coisa de sorriso no rosto e manter na mesa de cabeceira para reler um conto ou outro de vez em quando.
Bicentenário de saudade é coisa para guardar no coração.
Afinal de contas, ninguém se importa em ter muito do que lhe é agradável... ;)

Lançamento - Encontro da Editora Bezz na Livraria Martins Fontes da Av Paulista, 15hs - 15 de Julho

Dia 16 de Julho em Campinas - Shopping Dom Pedro

Sabe mais informações e adquira o livro que está em pré-venda por um preço super em conta: https://www.facebook.com/livroseditorabezz/



terça-feira, 11 de julho de 2017

Musical post (very) special edition

hey there,
I've been away because there are too many things going on in my life, stuff too big for me to deal with.
The idea is to live one minute at a time, try to keep my shit together and don't overthink.
Hard thing to do. Very. Very hard.
Coincidentally I found this sticker I posted on my Facebook fan page ages ago... It fits perfectly.


And then, my Ipod greets me with this little pearl of sweet music while I run trying hard to hold in my tears. Mornings are particularly hard... If you have faced a moment of impending loss in the family, you may know the fear I'm dealing with... *sniffing now*


Let me down easy
Sheppard

Ohhhhhh
Let me down easy, let me down easy, woah, before you go
Ohh, let me down easy, let me down easy, woah, before you go
Ba ba ba ba-da da ba ba ba [x4]
Night and day I've been doin' the math
To calculate where we wandered off track
But I know that this love was never easy
But something's faded inside of your heart
So you're crusadin' to tear us apart
It's clear now, I know you're gonna leave me
So disappear now, I won't get in your way
Ohh, let me down easy, let me down easy, woah, before you go [x2]
Well how do I begin to convince you to love me
When you're a star in the sky up above me
And I'm too far down below
Your heavy heart has taken its toll
You've lost all the magic inside of your soul
So sell me a lie before you hit the road
Ohh, let me down easy, let me down easy, woah, before you go [x2]
Woah Yeah!
Cause I know you'd rather run than stay and try
(Ba ba ba ba-da da ba ba ba)
Cause I know it's that much easier to say good bye
(Ba ba ba ba-da da ba ba ba)
Yes I know, so if you've made your mind
Take what you want and get out of my life
But can you do this one last thing?
Leave me with my pride
Ohh, let me down easy, let me down easy, woah, before you go [x2]
Night and day I've been doin' the math
(Ohh)
To calculate where we wandered off track
(Let me down easy)
But I know, this love was never easy
(Let me down easy, woah, before you go)
Something's fading inside of your heart
(Ohh)
So you're crusading to tear us apart
(Let me down easy)
It's clear now, I know you're gonna leave me
(Let me down easy)
So disappear now, I won't get in your way

(Woah, before you go)


While not all the lyric fits, the main sense is there...
At least the editing is as lovely as the song.

It's all in God's wise hands.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Te encontro lá - A pequena sereia moderna - Capítulo 1

hey, esquece o frio e escolhe um biquini - ou uma sunga...
As 'Princesas Possíveis' estão a todo vapor -mesmo! Embarcando em um transatlântico daqueles brancos bem grandes para navegar pela paradisíaca Costa Amalfitana na Itália.
As amigas dessa vez ficam de camarote urubuzando a vida de Ariela, a mais velha e mais sensata, prima de Cibele ( primeira Princesa Possível, 'A bela e a fera' em BIBLILOVE). Mesmo sabendo estar entrando em um vespeiro, ela embarca nessa viagem que vai lhe abrir novos horizontes.
O lance é que em alto mar qualquer um está sujeito aos caprichos do destino... Não se diz que depois da tempestade vem a calmaria?

A aventura começou assim:



Série PRINCESAS POSSÍVEIS
VOLUME 3
romance inspirado em 'A Pequena Sereia'

Consultórios médicos eram sempre intimidadores, ele pensou fechando os botões da camisa. Sentado na maca com os pés pendurados, se sentia meio infantil - um menino levado esperando uma bronca. 

'Olha, me surpreendeu. Parabéns.' O médico disse olhando várias folhas nas suas mãos. 'Seus exames estão ótimos, se livrou da ameaça de diabetes... Está pronto para entrar nos quarenta.’

‘Foi mês passado.’

‘Parabéns duplo, ou seria triplo? Arrumou alguém para tomar conta de você?’

Sacudiu a cabeça. ‘Tenho a mesma faxineira há dez anos.’

‘Maneira pouco lisonjeira de falar de uma companheira.’

Um risinho. ‘Mulheres dão muito trabalho, prefiro minha liberdade.’ Ele prendeu um sorriso constrangido, levantou da maca e arrumou a camisa dentro da calça. ‘Finalmente tenho alta da dieta, certo?’

A expressão do médico foi de otimista a lúgubre. ‘Dieta é para sempre, ainda mais depois dos quarenta. Passou um aperto grande, seu corpo quase deu perda total.’

Jonas fechou os olhos por um momento com a lembrança do peito apertado, da dor em lança, da visão turva, do medo de não ir embora de vez.

O médico voltou para sua mesa e se distraiu fazendo anotações. ‘Vou te indicar uma vitamina, ajuda na fadiga e raciocínio. Como vai o trabalho?’

‘Estressante como sempre.’

‘Só posso me opor a isso anotando na sua ficha. Neste check up funcional, a empresa tem que ser notificada do que acontece com seus executivos. Tem como controlar o stress?’

‘Estou saindo de férias semana que vem. Ganhei um cruzeiro como prêmio de produtividade.’

‘Fiz um cruzeiro até o Nordeste com meus filhos no Réveillon, eles adoraram. Aproveita para se exercitar e descansar. Quem sabe sua companhia será alguém que goste da academia a bordo?’ O médico sugeriu.

‘Da escotilha da academia eu procuro por uma sereia na costa da Itália.’ Jonas disse sarcasticamente.

Riram os dois homens.

---

‘Como não consegui entender ainda, não posso ajudar nossas quatro amigas aqui no grupo perguntando a mesma coisa desesperadamente.’ Apontou para o celular piscando a cada nova mensagem. ‘Pode repetir?’

‘Posso.’ Ariela disse e Cibele levantou as sobrancelhas olhando por cima da xícara de café. ‘Vou viajar com meu ex.’ A prima ainda olhava incredulamente. ‘É isso.’

‘Estou esperando me explicar porque aceitou esse harakiri.’

Ariela deu de ombros. ‘Pena. Acho.’

A prima abaixou a xícara e pensou por alguns minutos. ‘Se é para sentir pena do ex, que seja na Costa Amalfitana.’

‘Foi o que pensei.’

‘Viajar é sempre bom, Ari, mas Mel e Rafí têm razão. Isso é uma pena grande demais para se carregar.’

‘Deus não dá cruzes maiores do que podemos suportar.’

‘Poético e Bíblico, mas sabemos que não é verdade.’ Cibele inclinou a cabeça. ‘Pedro, por exemplo, sofreu calado por muito tempo.’

‘Até que você apareceu linda e loura para salvá-lo.’

‘Sem deboche... Átila então, nem se fala. Como aquele homem penou até achar um rumo na vida.’

‘Só está me falando de histórias com finais felizes, Bele. Estou ficando inspirada.’

A prima suspirou. ‘Vai ficar presa por doze dias.’

‘O que são doze dias em quinze anos?’

‘Ai, Ari... Que coisa!’ Cibele apertou os olhos. ‘Nem todos os anos foram ruins...’

‘Não, claro que não. Mas esse último ano mais ou menos solteira foi bom, me ajudou a perceber que não tem volta.’

‘No entanto...’

Ariela suspirou, os olhos passeando pelas vitrines iluminadas do café onde estavam. Poderia pedir uma torta de açaí ou integral de banana, mas estava bem na dieta, se sentia mais disposta e bonita. ‘No entanto ainda falo com ele, fui às bodas de ouro do chefe dele, fico com as meninas dele e aceitei esse cruzeiro com ele.’

‘Cruzeiro romântico. Sei não, Ari, mas acho que dessa vez você vai se enrolar.’ Cibele sacudiu a cabeça devagar. ‘Meter a mão em vespeiro.’

‘É a terceira viagem que ele arruma nesse ano, neguei todas as outras. Ele sabe que tenho férias vencidas e que o meu projeto acabou-’ Ariela parou no meio da frase e seus olhos brilharam. ‘Contei que foi um sucesso? Mandei bem, vou subir um nível na cotação interna da empresa!’

‘Parabéns, prima!’ Sorriram as duas mulheres. ‘Itália poderia ser uma ótima comemoração...’

‘Foi o que ele disse...’

‘Mas a companhia...’ Suspiraram as duas. ‘Te ajudo. Vamos começar fazendo um glossário de Italiano.’ A prima pegou o celular e carregou o aplicativo de tradução. ‘Porca miseria, va al diavolo!’ Disse sorrindo e sacudindo a mão com os dedos unidos no alto. ‘Tem mais: Del senno di poi son piene le fosse.’

‘SAP, por favor.’

‘De boas intenções o inferno está cheio.’

‘Verdade.’

‘Outro, ouve só: Gallina vecchia fa buon brodo.’

‘Brodo é uma sopa, vecchia é velha então acho que saquei o deboche.’

‘Panela velha é que faz comida boa! Eu sei!’ Cibele cantou e Ariela beliscou seu braço. Depois do riso, ela levantou um dedo. ‘Essa aqui, meu bem: In bocca al lupo. Eu te digo ‘na boca do lobo’ desejando sorte, você responde ‘que morra’: Crepi.’

‘Crepi!’

---

Disposto a cumprir ordens médicas, Jonas visitou a academia bem cedo na sua primeira manhã a bordo da jamanta branca flutuante, antes mesmo de visitar o buffet de café da manhã que deveria ser tão farto quanto o do jantar. Mais de quarenta minutos fechado no ar condicionado suando na esteira vendo o oceano pelas janelas, ele pegou uma garrafa de água e se debruçou no guarda-corpo da sacada.

Aos poucos sua respiração voltou ao normal embalada pela brisa do mar aberto e as braçadas vigorosas de uma mulher na piscina do deck principal. Ela seguia um ritmo perfeito: seis, sete, oito braçadas, mergulhava, virava, nadava submersa e voltava às braçadas. Ele perdeu a conta de quantas voltas a viu dar sem parar e sem perder o ritmo.

Foi sua garrafa de água vazia que o chamou atenção para o tanto de tempo perdido na admiração do mar aberto e da sereia de piscina, notou um chapéu de palha e uma bolsa colorida em uma das espreguiçadeiras no deck vazio, um outro barco muito ao longe, pessoas chegando na academia até então vazia e resolveu voltar à sua cabine para um banho e o café da manhã.

---

Ela sempre gostou de um cigarrinho após o jantar. Não fumava muito, até escolhia uma marca difícil de achar para garantir que cigarros seriam somente para momentos especiais como aquele. 

O deck lateral praticamente vazio iluminado somente pelas guirlandas altas balançando ao sabor do vento de alto mar, escuridão total no horizonte, música baixa vindo de algum lugar ao longe: um cenário perfeito para um cigarrinho e a última taça de espumante. Gostaria de ter trazido um casaquinho, mas não iria voltar à cabine naquela hora... O ventinho a incomodava, mas não o suficiente para estragar seu refúgio.

Um vulto lhe chamou atenção, era uma cabeça saindo de uma porta lateral. Chegou a pular na espreguiçadeira, mas quando notou ser outro lobo solitário como ela; se reacomodou, provou da sua flute e tragou fundo.

O outro fumante se debruçou na mureta, o cabelo curto sendo bagunçado pelo vento do passo rápido do navio e Ariela voltou a se concentrar na sua reflexão.

Ao tentar acender um segundo cigarro, ciente do pecado dobrado que cometia, Jonas deixou cair o isqueiro no mar. Um xingamento lhe escapou, queria mesmo fumar mais um. 

Desconsolado, decidiu pedir ajuda. ‘Buonasera...’ Ele tentou, ela sorriu de volta. ‘Do you speak English? My Italian is awful.’

‘Mine too. English is fine.’

Ele inclinou a cabeça tentando identificar o leve sotaque nas poucas palavras que ela disse. ‘How about Portuguese?’

‘Melhor.’

‘Boa noite, tem isqueiro?’ Prendeu os lábios em um sorriso constrangido. ‘Acabei de derrubar o meu.’

‘Claro.’ Ariela se remexeu na cadeira para achar a carteira de cigarros. 

Ele acendeu, tragou fundo e aliviado devolveu o isqueiro. ‘Muito obrigado.’

‘O pecado vale a pena, né?’

‘Nossa, e como... Meu médico teria muito a dizer se soubesse que este é meu segundo.’

‘Que rebeldia.’

‘Demais!’ Ele riu baixinho. ‘Ordens médicas também te proíbem um cigarrinho?’

‘Pior... Consciência.’

Ele grunhiu. ‘Por isso está sozinha aqui no escuro?’

Ela achou graça da ironia. ‘É calmo aqui.’

‘Incomodo? Desculpe.’

‘Huh-huh.’ Sacudiu a cabeça bebendo.

‘Está sozinha aqui ou no cruzeiro?’

Que pergunta difícil de ser respondida... Pensou em como fazê-lo, especialmente a um estranho que levantava as sobrancelhas tragando. ‘Vim com meu ex-marido.’ 

‘Ah...’ O deck lateral na penumbra lhe pareceu adequado. ‘Uma reconciliação?’

Deu de ombros. ‘Faz quase um ano que ele tenta.’

‘Uau.’ Balançou a cabeça. ‘Coitado.’ Ela achou graça da entonação. ‘Pelo jeito ele não tem a mínima chance.’

‘No.’

‘E por que insiste?’

‘Só ele pode responder isso.’ Ela deu de ombros. ‘Você?’

‘Aqui?’

Ela balançou a cabeça. Não estava exatamente interessada, mas eram companheiros de baforadas. 

‘Sozinho nas férias e na vida.’

‘Por força do destino?’

‘Escolha.’

‘Mmm... Sabe que existem cruzeiros específicos para solteiros?’

‘Não escolhi esse.’ Ele sorriu para a mulher atraente. ‘Ganhei da empresa, prêmio de produtividade.’

‘Ah!... A maneira que o sistema tem para se desculpar por sugar nossas vidas.’

‘Isso!’ Riu. ‘Jonas.’

‘Ari.’

‘Tenho um amigo Ari.’ Ele disse desconfiado.

‘Ane Ariela.’ Disse simplificando seu nome. ‘Meu bisavô era Aristides.’ Ela fez uma cara engraçada. ‘Podia ser pior!’ Ele riu concordando e como não mencionou a pequena sereia, ela imaginou que não tinha filhos.’

‘Manda trocar o nome na sua cabine para Ari. Todos vão pensar que é um homem e seu ex não vai te achar. Com certeza tem outros Aris aqui.’

‘Boa estratégia, pena que não funcionaria. Ele reservou uma cabine só. Exigi duas e ele garantiu que estava tudo certo...’

‘Estava contando que aceitaria, imagino.’

Ela balançou a cabeça sem nem ao menos cogitar explicar que apesar dos esforços da equipe em lhe achar uma cabine vaga, tinha cedido à chantagem emocional do ex. Uma noite foi suficiente para que ela percebesse que as outras nove seriam uma tortura física e emocional.

‘Merece mais um cigarro.’ Ele decretou. ‘Me acompanha? Nicotina solidária?’

‘O prazer é meu.’

O cigarro terminado, ele se levantou. ‘Vou dormir. Fica bem sozinha?’

‘Muito.’

Jonas apertou os lábios e teve pena da mulher... E do cara a esperando na cama. ‘Boa noite.’

‘Boa.’ Ela apertou um sorriso desinteressado.

Ele já estava perto da porta de onde havia saído quando ouviu a outra abrir e parou por um momento. Depois de ler reclamações em sites, estava um pouco ressabiado em sua primeira experiência de turismo em alto mar. Forçou a atenção tentando ser discreto e reconheceu que a voz de um homem rouco falava Português, pareciam ser íntimos pelo tom usado no convite para uma sessão de cinema.

‘Vou ficar mais um pouco.’ Ela disse sem muito entusiasmo. ‘Pode ir, te encontro lá.’

~ continua ~

 começamos bem?...

quarta-feira, 21 de junho de 2017

I love Machadinho!

Olá,
Engraçado como a vida leva a gente daqui prá lá e quando a gente vê está envolvida até a raiz dos cabelos com o universo Austen enquanto pérolas como Machado de Assis  continuam no seu cantinho no coração...



Eu me apaixonei mais por Machadinho do que por Capitu ou Bentinho... E olha que Capitu é tudibom! Mas a maneira como Machadinho conversa com o leitor me pegou de jeito - eu me lembro de jogar minha cópia de 'Dom Casmurro' para o outro lado da sala quando ele mandou! Ha!

"CAPÍTULO XLV de Dom Casmurro
ABANE A CABEÇA, LEITOR

Abane a cabeça leitor; faça todos os gestos de incredulidade. Chegue a deitar fora este livro, se o tédio já o não obrigou a isso antes; tudo é possível. Mas, se o não fez antes e só agora, fio que torne a pegar do livro e que o abra na mesma página, sem crer por isso na veracidade do autor. Todavia, não há nada mais exato. Foi assim mesmo que Capitu falou, com tais palavras e maneiras. Falou do primeiro filho, como se fosse a primeira boneca."


mundoHQ

Capitu, aquela ninfa de olhos de ressaca!... 
Ha!

E agora, 100 anos de Machadinho, toda a obra está disponível online... Ah, que lindo! Pena que a versão html não reconhece caracteres especiais como acentuação... Aff, nem tudo é perfeito.

E ele ganhou um Google Doodle...


Digo então mais uma vez: 
I love my Machadinho!

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Encontro Leque Rosa Editora Bezz com Blogueiros e Autores

Olá,
Está chegando o tão esperando evento de lançamento da Antologia 'Querida Jane Austen, uma homenagem' e será no 'Encontro Leque Rosa - Editora Bezz'. 
Já viu o convite no Facebook?

Vem bater papo conosco sobre Austen, romances e tudo mais.
Será um prazer!