quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Meu amor pelos livros

olá, fui convidada a participar de uma série de depoimentos sobre o amor pelos livros e achei uma graça.
Claro que aceitei e claro que falei dos tantos livros que já citei aqui.

A querida Deise do Reino Literário postou e eu reposto.




"Olá, gostei muito quando a Deise me convidou a participar porque desenvolvi uma relação muito íntima com a literatura, somos muito amigas.

Acredito que o primeiro livro a me ‘fisgar’ foi ‘A Ladeira Da Saudade ’ de Ganymédes José. Já tinha chorado e rido e brincado com Pollyanna e outros tantos indicados pelas queridas professoras de Português, mas foi no início da adolescência que me foram abertas as portas para esse mundo infinito. Depois, todos os volumes da biblioteca que meu pai mantinha em casa ganharam novos ares: Jorge Amado , Graciliano RamosEça de Queirós ... Pode-se dizer que foi nas ladeiras de Ouro Preto que me apaixonei de verdade por livros enquanto Lília se apaixonava por Dirceu.

Depois veio Agatha Christie e a fome de ler toda sua obra, as indicações dos professores de Inglês e Francês , Machado de Assis , Drummond e Nelson Rodrigues , os livros conceituais da época de Formação de Professores e mais tarde da Faculdade de Arquitetura e de repente eu me encontrei nos romances. Amantes perdidos , vampiros (ah, os vampiros...), heroínas espirituosas e no meio disso: Harry Potter . Li sobre o fenômeno na Veja, comprei o primeiro volume para ter base de crítica e quatro anos depois estava na fila de pré-venda da Amazon US rezando para o Correio entregar logo.

Quando, tempos depois, fui apresentada a Austen , fui imune ao seu charme até colocar as mãos em Orgulho e Preconceito . Tão abruptamente quanto aos 11 anos com o romance adolescente passado nas ladeiras históricas, fui arrebatada por Mr. Darcy e Elizabeth Bennett: foi amor à primeira linha. Arfei e arregalei os olhos quando ela foi atrevida , mordi o lábio contendo o sorriso quando se reencontram... Estava eu enfeitiçada pela estória quase dois séculos depois que a Jovem Austen escreveu, reconhecendo ali tantas heroínas e heróis que já tinha lido antes, deixando minha imaginação ir longe (até demais).

Por anos minhas próprias estórias crescerem na minha cabeça até que ficaram grandes demais e resolvi, muito timidamente na calada da noite, escrever. Era só para tirar o pensamento repetitivo da mente, mas tomou tal força que hoje já tenho nove livros escritos e mais um no forno para sair agora em Dezembro de 2015.

Paixão tenho por meu marido e filho, pelo Rio de Janeiro, pelos meus amigos, por ir à praia, conversar e rir. Enfeitiçada fiquei e ainda sou por consumir e produzir livros.

Como disse, a literatura e eu somos amigas íntimas."




Achei o convite muito carinhoso, adorei.

bj