terça-feira, 28 de julho de 2015

Loja virtual

olá, 
resolvi montar uma loja virtual para organizar as vendas do '45 dias na Europa com Sr. Darcy'

45 dias na Europa com Sr Darcy
http://temporario-lojamoirabianchi.lojaintegrada.com.br/

Tudo organizadinho, muito fofo. 
Ainda aceito encomendas por e-mail, mas a lojinha ficou show.

Optei pela Loja integrada depois de procurar várias e tentar algumas. Vamos ver se funciona...


Para o e-book, aqui.

bj

domingo, 26 de julho de 2015

45 dias na Europa com Sr Darcy no Jornal Extra

Saiu na quarta-feira, dia do aniversário do meu hubs!




E vem coisa boa por aí! Olhem os mimos para sorteio!...

Já comprou sua cópia? O ebook está em pré-venda e o livro de papel já está disponível!

Entre nesta viagem com Lizzy e apaixone-se!



bj


sexta-feira, 17 de julho de 2015

The Prince of Pemberley - Book 2 - Chapter 6

Hello,  

And I finally bring you to THE turning point. A lot happens, who Lizzy will be is defined here and this was a chapter I re-wrote a couple of times. I particularly like this chapter.

As always, if you haven't already, read the story's front page before diving in. Tks.


pride and prejudice fanfic

BOOK 2
LOVERS

Previous chapter

CHAPTER 6


The evil plan

Graham was more than happy to escort the two beautiful Bennett sisters from the airport to their hotel. In a long skirt and a floral jacket that complimented her light eyes and hair, Jane seemed more beautiful and angelical to him.

He invited them to a happy hour and as Jane was about to turn down the offer, Elizabeth accepted for both of them saying they needed a few drinks after the lousy flight with two aborted landings. She wasn’t aware of the private detective keeping Darcy under surveillance and was disheartened when he answered her text saying he unfortunately wouldn’t be able to accompany then but would call her later that evening.

Following Darcy’s instructions, Graham took them to the underground pub he used to go with his business partners and when they were laughing their way into the second drink, he arrived astounding Elizabeth.

‘You said you were not coming!’ She whispered delightedly in his ear as he leaned in to kiss her cheek. ‘Happy Birthday!’ She said aloud.

‘I wasn’t sure I’d be able to, Lily Bobtail.’ He whispered in her ear. ‘Congratulations for the outstanding result of your presentation, Lizzy!’ He said and moved to greet Jane the same way as Elizabeth laughed.

‘William!’ Graham clapped happily. ‘Help me: how many times did we watch Highlander?’

‘Before you got a Betamax copy of it?’ Darcy grinned taking a seat beside Graham and in front of the women. Immediately Lizzy touched his leg under the table with hers. He smiled and adjusted in his seat to lock her leg between both of his.

‘Betamax?’ Jane giggled. ‘I had completely forgotten it ever existed! Remember, Bebeh, we wanted one so bad but our dad only got us a videotape player years after it was cool.’

Elizabeth nodded. ‘A VHS he had to take to the local handyman to install a switch so we could choose between-‘

‘Pal-M and NTSC!’ Jane said with Elizabeth and they giggled.

‘Lydia always messed with it and we recorded whole movies without color.’ Jane smiled. ‘Elizabeth almost killed the baby every time it happened.’

‘Remember the Free South Africa concert?’ Elizabeth asked.

‘I do!’ Darcy raised a finger.

‘Oh, shut up!’ Elizabeth leaned in and poked his chest.

Darcy chuckled, held her hand and brought it to his lips for a kiss.

Jane frowned smiling; Graham didn’t need to follow her eyes to see she also had noticed the interaction. ‘We were there.’ He said to Jane. ‘My brothers, William and I.’

Jane nodded averting her eyes from the way the man who controlled her sister’s heart reverently looked at Elizabeth to Graham. ‘I know. We sent you two very bad vibes because of it.’

‘That’s not nice, ladies…’ Graham smiled sideways.

‘We watched that tape – half properly colored and half in greens and pinks – so much that we knew the sequence of the songs by heart.’ Elizabeth said.

jolie
‘But not as much as we knew our favorite movies’ lines!’ Jane giggled sharing a sly glance with Elizabeth.

Immediately she sat up straight and opened her arms in a wide circle in front of her. The men frowned; Jane giggled and did the same, her right arm over Elizabeth’s left and the two sisters recited. ‘This is my dance space; this is your dance space!

As they giggled singing ‘The time of my life’ Darcy feasted his eyes watching Elizabeth laugh and smile. He had missed her these last weeks, especially on his birthday’s spiritless dinner. The year before, they had celebrated marvelously in bed, this year he only had a silly stuffed bunny for company.

Graham was enchanted by the sisters once again. When Darcy talked about Elizabeth, he only saw the practical side, rationalizing why a married woman would have an affair with a very wealthy married man. In person, he saw an enchanting beautiful woman enchanted with his cousin and who could be a very positive influence on Darcy, more than she had been so far. Jane, on the other hand, was quiet and skittish, but so beautiful. Her occasional discreet glances at him, her long limbs and slender body suggested delicious naughty moments to him.

They talked animatedly – mostly Elizabeth and Graham, while Jane and Darcy smiled and chuckled offering insights here and there, ordered a light meal and desserts so they could softly sing him ‘happy birthday’ with tiny candles the waiter produced.

When Graham convinced Jane to dance a particularly romantic song the live performer started, Darcy extended his hand over the table to hold Elizabeth’s. ‘We’re all set for Friday afternoon.’ He said in a smile.
‘Where are we going to celebrate your b-day?’ She frowned smiling sideways. ‘I can’t remember what you said about the place...’

“She’s so pretty.” Darcy thought. ‘I didn’t.’

‘Ah!...’ Elizabeth shook her head. ‘I don’t know, Fitz. All this mystery…’

He shook his head at her silly bait. ‘Friday.’

Two days away.

---
This story's release is close... Check the book's page for info.



“…And the night through the thick and thin
Gotta fly, gotta see, can't believe…”

quarta-feira, 15 de julho de 2015

The Prince of Pemberley - Book 2 - Chapter 5

Hello,  

I've been procrastinating in posting because of the lame feedback... It takes a lot of work to post! There's so much to do with the approaching release of '45 dias na Europa com Sr. Darcy' and even though I love the Prince so very ardently, this chapter is probably the next to last I'll be posting
. I originally intended to post all three books but the third and the last chapters of the second won't be made public before the publishing.

Till then, this Darcy and Lizzy are thriving...

As always, if you haven't already, read the story's front page before diving in. Tks.



pride and prejudice fanfic


BOOK 2
LOVERS

Previous chapter

CHAPTER 5


Sous le ciel de Paris

If turning 40 was a nervous-wrecking moment for Elizabeth – especially for the waves the year brought her, she outright feared her 41st birthday.

Still anxious about the situation where her friendship with Darcy was set; she boarded the plane for another module of classes in Paris two days before her birthday feeling her heart flutter sadly. Jane was her all time companion and being older than Elizabeth had been always present in all her birthdays, Wickham since they started going steady, after the children were born, it became more an event to please them. This year, Elizabeth was going to be alone.
Of course there were acquaintances or not-so-intimate PhD friends with whom she was planning to have drinks and go clubbing, but…

As soon as she approached the arrivals gate’s sliding doors at Charles De Gaule, she saw her usual French chauffer waiting. Elizabeth considered dismissing the service, it felt weird to take advantage of Darcy’s money but he surely was aware she still used it - probably even wanted her to have it, otherwise he would have pulled the plug. Darcy’s presence always lurked around her; the man himself was distant in spite of the low-key texts they shared once or twice a week.

She asked to be delivered at the university and her large luggage at the studio where the ghost of her last stay awaited her. Instead of facing her guilt for the affair that cost her royal friendship, Elizabeth plunged into the loads of documents to catalogue, preliminary research results her advisor approved of and gave her excellent tips of how to conduct the next phases. They had a quick lunch at the university bistro and by the end of afternoon, Elizabeth walked to the studio feeling content about how swiftly her PhD were moving.

It was still summer and no one could resist a sunny afternoon in Paris – especially not Elizabeth. With no hurry to arrive at the empty studio, she slowly walked window-shopping along the way. Maybe she should change shower curtains as Jane suggested, she thought at an exquisite housewares shop before calling her sister and inviting her (again) to come to Europe so she could complete her design, it had been over a year since they last traveled together. Elizabeth’s next module of classes had a presentation in Paris and more than a week in London giving Jane very little chance to turn down the offer.

Elizabeth continued her slow walk home babbling through expensive international long distance mobile connection and turned a corner taking care not to bump into any of her favorite bistro’s sidewalk tables. Even after an eleven hour’s flight and the warm weather, she felt good in a classic knee-length fitted dress with a wrap neckline that in itself didn’t say much but it was peppermint green. Usually she wore black and white because it was easier to compose outfits when in a hurry but Jane had chosen this dress for her and Jane had excellent taste in anything; Elizabeth only had to add stylish sunglasses and a thick caramel belt to be elegant and comfortable.

She chuckled at what Jane said watching her step and looked up to see the most exciting sight she could think of: Darcy in sunglasses, bearded, sipping from a small espresso cup and seated at the last bistro’s sidewalk table.

It was clear for both when they saw each other. Time stood still for a moment and everything else blurred. It only lasted a second, a millisecond, not long enough even to be a pivoting scene in a romantic movie but it was enough to overdrive their systems.
Jane babbled for the long moments Elizabeth took to walk the thirty meters from the corner to where Darcy’s table was and incredibly enough, hung up saying she had another call as Elizabeth stood in front of him not believing her eyes.

Darcy didn’t sit up when she arrived close to him, even though his heart pumped blood everywhere in a frenzy. Seeing her looking so sexy in a summer afternoon made him think all kinds of mad fantasies at once. But he kept his legs crossed in front of him taking a good part of the sidewalk, pressed his lips in a smile and extended his hand for her to hold.

Elizabeth returned the subdued smile afraid her lips would tremble if she didn’t take care.
Darcy took her hand and brought it to his lips for a kiss. ‘Care for a birthday toast or is it too early?’ He asked and twisted his other arm to check his watch. ‘Seven hours left.’

As his lips surrounded by a beard touched her skin, the hairs on the back of her neck rose. ‘Almost ten. I was born at forty five past ten pm, that’s three forty five in the morning here. I already did the math.’ Elizabeth squeezed his hand.

‘Ah!’ He nodded. ‘That is very important because it determines which planet runs your house, correct?’

‘Fuck the planets. They have been screwing me lately.’ She smiled a little bigger.

“I hate when we part. Stay forever.” Darcy smiled back.

bluecanvas
‘Isn’t it too early for drinks?’ She asked raising one eyebrow.

He shrugged, her hand still in his. ‘We can toast with coffee.’

‘You’re having coffee?’ She asked raising her eyebrows. ‘Pas de l’eau chaud?

Darcy shook his head. ‘They’re out of leaves here.’

She chuckled and leaned in to kiss his cheeks.

Darcy knew it was a common Brazilian greeting but it still surprised and delighted him as her perfume’s trace invaded his nostrils.

‘Coffee then.’ Elizabeth said and took a seat beside him.

Hungry for each other, they strived to rebuild their bond as if their friendship hadn’t suffered from the months of estrangement. They talked about mundane things, laughed and teased each other for hours.

‘…So, I posted a silly comment like: ‘cute boyfriend’, ‘you look cute together’ or something like it and like… five seconds later I was notified someone answered my comment.’ Elizabeth said and clicked some invisible button in the air. ‘I clicked there and it was Gardiner saying: ‘boyfriend question mark, exclamation mark, question mark, exclamation mark...' Elizabeth said and Darcy raised his brows pressing his lips together. She was talking with her hands excitedly and he was happy she was happy with him. ‘I thought: ‘oh shit! Didn’t she know?’ And I clicked on ‘private message’ to send a note to Weston but then I thought better and when I returned to the post, my original comment was deleted!' She said laughing and he chuckled. ‘Another minute and the whole post was deleted! I was so mortified!' She balled her hands over the table, still laughing. 'No one knew he was gay? Wasn't it obvious? Your rats know, right?’

Darcy gave her a smug smile. ‘He is one of the rats, Lizzy.’

‘Oh my God! You corrupted the kid!’ She accused and he laughed. ‘I don't know why he didn’t block me after this fiasco!’

“I know why.” Darcy thought.

‘I’m embarrassed to even like anything he posts now!’ She laughed.

Darcy was still chuckling. ‘I'll talk to him.’

‘No!’ She cried and held his arm. ‘Don't!’

He covered her hand with his and she smiled sweetly at him. She missed spending time with her friend so much these last months, it felt nice to have him with her for a chat. And the beard gave him a mysterious air, like someone she had just met. It almost felt like a clean slate.

‘I never saw you bearded before...’ She said smiling.

He shrugged. ‘Do you like it?’ He brought her hand to his lips for another kiss.

‘It suits you.’ She smoothed his obviously carefully trimmed beard with the back of her fingers, dying to caress it around his lips. ‘There's white in it.’

He smiled with pressed lips.

‘Why you let it grow?’ She asked lowering her hand.

‘I had to have something unrelated to you, Bart, or else I would go crazy.’ He answered seriously.

---
This story's release is close... Check the book's page for info.




“… Yeah, I’m tangled up in blue, You can call me your fool,
I only wanna be with you… “

I only wanna be with you – Hootie & the Blowfish 


next chapter

sábado, 11 de julho de 2015

Conversando sobre '45 dias na Europa com Sr. Darcy'

Olá,

estou aqui a todo vapor nos preparativos de lançamento de '45 dias na Europa com Sr. Darcy'.

Terei um kit especial com ecobag+marcador comemorativo+livro paperback, está lindo...

Essa semana, as meninas fofas da página Adaptações de Jane Austen me convidaram para um bate papo que foi muito legal. Elas postaram e posto aqui novamente - só que com algumas fotos e links.

Vamos lá?

Olá tudo bem?!
Ótimo, coração batendo apressado! Tão emocionante ver meu livrinho fofo ganhar vida!...

1- Vamos começar com a pergunta clássica: Como você conheceu Jane Austen?
Uma amiga me desafiou a ler os clássicos da literatura mundial depois que eu a viciei em Harry Potter, lá quando foi lançado o ‘Prisioneiro de Askaban’. Primeiro foi ‘O retrato de Dorian Gray’ de Oscar Wilde, adorei (Lizzy cita em ’45 dias’, aliás). A tarefa seguinte foi ‘O Hobbit’ de Tolkien, amei. Daí ela me veio com ‘Razão e Sensibilidade’, fiquei revoltada! Queria que Elinor desse uma decisão naquele povo, que virasse a mesa, que mandasse ver e aí minha amiga falou: ‘Você precisa de Elizabeth.’ Foi amor à primeira linha, paixão desde que Austen me disse ‘..Darcy nunca havia estado tão enfeitiçado por nenhuma mulher quanto estava por ela.’ Fiquei eu enfeitiçada. Alguns anos depois essa mesma amiga me disse com cara de pena: ‘Querida, você está desenvolvendo uma fixação não salutar por um personagem literário...’ Eu ri e respondi: ‘Culpa sua!’

2- O que Sr. Darcy representa pra você?!
(risos) Darcy é o perfeito herói ‘tall, dark and handsome’ porque é perfeito na sua imperfeição. Ele é mal humorado, grosso, não vê um palmo na frente do nariz, cabeça dura, apaixonado, apaixonante, faz de tudo por quem ama, não mede consequências. Assim faço os meus Darcys, ora mais carinhosos, outras mais carrancudos, mas sempre assim: perfeitamente imperfeitos.  Aqui em casa, ele é ‘o cara’! Quando escrevendo, pergunto ao meu marido: ‘Você faria isso ou aquilo quando namoramos, quando queria me prender?’ Ele olha, torce a cabeça: ‘Mr Darcy faria diferente, é um lord!’

3- Andei pesquisando, e descobri que você tem outras "obras" publicadas, só que Inglês. Fala um pouco delas pra gente!
Tudo começou com ‘Friendship of a Special Kind’ – um romance inspirado em O&P. tem vários personagens aglutinados ou divididos (o papel de Charlotte, por exemplo, coube a dois personagens super amigos de Lizzy, fazem parte do ‘exército de salvação de Lizzy Bennett’). Darcy é empresário rico solteiro por volta dos 35 anos que acabou um noivado por acreditar que a mulher (Caroline, que não é Bingley) queria casar com a carteira e não com ele. Elizabeth ficou viúva de Collins, tem 32 anos e decidiu abraçar a solteirice ainda curando o coração partido. Quando se conhecem, ele gosta dela de cara e depois de muito insistir consegue um encontro; ela adora, mas não quer ter ninguém. Ele gama e quer mais, fica louco. Pretendo lançar em Português no ano que vem, mas já tem cinco capítulos (liga o ventilador, são hot e deliciosos) no meu blog moirabianchi.com , grátis .
 ‘Coletâneade contos de Final de Ano’ – a comunidade do site Jane Austen Fanfics se uniu fazendo uma coletânea de contos que têm como tema central as festas de Natal e Ano Novo. O meu ‘Um ótimo começo para um tipo especial de Natal’ é um extra de ‘Friendship of a special kind’, uma cena ultrarromântica e bem hot. (adoro!)
Tenho mais dois livros prontos para sair:
‘Preconceito, Orgulho & Café’ – primeiro livro totalmente escrito em Português, totalmente passado no Rio. Viciante como café.
‘HRH The Prince of Pemberley’ – sai no dia do aniversário da minha mãe em Inglês (23-out). Escrevi tanto que tive que dividi em 3 livros – uma trilogia!... Pretendo lançar em Português em 2017.

4- Quando e por que, você resolveu escrever.
Já lia fanfics de O&P há alguns anos e comecei a montar um plot na cabeça, uma estória muito delicada, hot, moderna, daquelas que você fica querendo mais, daquelas que eu mais gostava de ler; mas morria de medo de colocar para fora. Meu filhinho (um Mr. Wickham, sempre metido em alguma tramoia que acaba dando errado) estava na fase de mudar do berço para a caminha e descobriu que podia se aboletar na minha cama... Quase não dormia e aí resolvi escrever a cena que ficava na minha cabeça direto. Fui para sala, no escuro e escrevi no Iphone... Quando vi já era dia. Amei, Darcy e Lizzy passaram a ‘falar comigo’ o tempo todo, o dia todo, no metrô, dirigindo, vendo TV, tomou conta de mim. Escrevi no dia seguinte, depois, depois e escrevi ‘Friendshipof a special kind’ 60% no Iphone na madruga. Mandei para uma Darcy friend Australiana e ela leu em 24hs e pediu: ‘Continua!’. Assim foi... Acabei de ter outro surto criativo e escrevi ‘Preconceito, orgulho e café’ em uma semana... Mas falamos disso depois, né? ;) 
gamedesire



5- "45 dias na Europa com Sr. Darcy" vai ser lançado em português, na Bienal do Rio. Como está sendo a experiência? Ansiosa?
Muito! (risos) Lançar em Inglês já fiz outras vezes, ’45 days’ está publicado desde 2013, mas como estou longe é tudo feito online. Agora estou aqui, pertinho, preparando brindes legais para mandar com os primeiros volumes em papel (diretamente comigo e envio pelo correio), pensando em ir todos os dias na Bienal só para ver meus livrinhos na prateleira, considerando se vai vender, se as pessoas vão gostar do meu casalzinho fofo... (risos) Resposta: Estou pirada!

6- O que você tem a dizer pras nos convencer a ler? (Mesmo que eu já esteja convencida!)
Ah, que pergunta capciosa! (sorriso grande) ’45 dias na Europa com Sr. Darcy’ é minha adaptação linear de O&P – me dei esse desafio. Vinha de ‘Friendship of a special kind’ que é uma estória inspirada e de ‘Image or Likeness’ que é um conto erótico, então queria pegar leve em uma estória levinha, fofa, divertida. Já vinha brincando com a ideia de misturar O&P com Rio, já tinha trazido Darcy&Lizzy a Paraty em ‘ComoWilliam Darcy poderia ter conhecido Lizzy Bennett’ , mas quando escrevi o mashup com Eduardo e Mônica (‘Coisas do Coração’) deixei-os nos EUA. Meu desafio para mim mesma cresceu: uma adaptação linear seguindo certinho o canon, light, delicadamente hot, Brazuca. Daí vi na hora como tinha que ser: uma Lizzy carioca, suingue sangue bom! Que cara Inglês gato e carrancudo ia resistir? ;)

Você gosta de O&P? Vai gostar. Gosta mais de Hunsford e o pior pedido de casamento do mundo? Tem. Gosta do embate intelectual que Lizzy trava com Darcy em Netherfield? Tem. Gosta mais de quando eles se encontram sem querer em Pemberley? Tem. Ainda tem Veneza, o Caminho de Santiago de Compostela, Nova Iorque, Dubai, Milão, Amsterdam... Pega o passaporte e vem junto!
Já viu o trailer? (sorrisão)

7- Sua Lizzie/Lizzy é brasileira. Você fez alguma alteração da personagem original?
Minhas Elizabeths são sempre Lizzy com Y como Ms Austen fez e Bennett com 2 T como a escola em frente à minha casa. Fora ela ser natural de Petrópolis, carioca de Ipanema de coração, ela está como Ms. Austen escreveu (e como eu entendi). Ela tem 20 anos, cursa Turismo na Faculdade Federal, adora praia, amigos, dançar, seu blog que é sua paixão, família; tem um caso enrolado com um carinha (oops, spoiler...), briga com as irmãs que demoram no banheiro, sofre com as implicâncias da mãe, é muito combativa, curiosa, sagaz e bem humorada. Na playlist que fiz (sempre escolho uma música para me ajudar a dar o tom de cada capítulo), a música dela é ‘Sá Marina’ de Simonal que Ivete canta: ‘...com seu jeitinho tão faceiro fez o povo inteiro cantar...’

8- O livro vai ser lançado por uma editora, ou é independente? Como vamos poder adquiri-lo?
Sou totalmente Indie, ou seja, eu e meu computador. (risos) O ebook já está em pré-venda na Amazon, o livro físico (que está uma lindeza) será vendido online por uma editora Brasileira de auto-publicação e eu enviarei as cópias que importo de uma editora gringa que adoro.  As primeiras cópias serão enviadas com brindes bacanas como marcadores e terei um kit fofo de ecobag exclusiva. Estou batalhando para manter o preço dos meus outros livros: R$ 35,00. O dólar tem que me ajudar nisso...

9- Rola mais um trechinho especial pra gente?! (Vai que cola!?)
Como escolhido, (parte do)o baile de Netherfield. Dá mesmo para sentir o tom do livro...

Parte 1 - 8 dias - Amsterdam
‘Se divertindo?’ Ele perguntou e ela olhou para cima surpresa; ele chegou tão silenciosamente que ela não tinha notado. Foi como um déjá vu. ‘Desculpe, te assustei.’

‘Tudo bem.’ Elizabeth levou a taça à boca na esperança de disfarçar seu rosto vermelho. Esta era a primeira vez que o via desde... O beijo.

‘Não está com frio?’ Ele perguntou franzindo a testa.

Ela sacudiu a cabeça negativamente. Na verdade, com as bochechas em fogo, ela tinha certeza que ia começar a suar em dois segundos.

‘Posso te dar meu paletó.’ Ele ofereceu.

‘Não, por favor.’ Ela levantou a mão para ele. ‘Estou bem.’

‘Outro dia você estava com frio no Keukenhof. E era mais cedo.’

‘Hoje está mais quente.’ Ela mentiu. ‘E eu gosto daqui. Estava muito abafado lá dentro.’ Como se tivesse sido ensaiado, ela ouviu uma risada estridente que com certeza era da Lydia. Ou Kitty. Ou as duas.

Darcy concordou silenciosamente. Entendia porque ela tinha se refugiado na varanda. ‘Você...’ Ele começou, mas calou-se sentindo-se um idiota por estar tão sem jeito perto dela. ‘Está bem?’

Ela concordou com a cabeça.

Ele sorriu com os lábios fechados. ‘Você está linda.’

‘Obrigada.’ Elizabeth corou novamente. ‘Você recheia um smoking muito bem.’ Ela tinha que admitir, o Prego ficava totalmente gato de smoking. E de casacão. E de pulôver. Droga, ele era gato demais. “E Prego. Não esquece, Lizzard!”

Darcy sacudiu a cabeça, corando, e fixou os olhos à frente nos telhados iluminados da cidade. Em total silêncio, eles ficaram lado a lado por uns minutos, até que o frio incomodasse demais. Com seus braços nus, meia-calça tão fina quanto transparente e cabelo liso perfeitamente penteado atrás da orelha, Elizabeth estava desprotegida contra o vento gelado.

‘Errr...’ Ela disse quebrando o silêncio. ‘Vou entrar.’

‘Frio?’ Ele perguntou sorrindo.

‘Sim.’ Ela suspirou. “Uma vez Prego...”

Ele achava que ela estava linda. O cabelo, o vestido, o batom rosa, a tatuagem. Tudo. Antes que ela escapasse, ele achou sua coragem e segurou o cotovelo dela quando ela se virou para sair. ‘Olha, Lizzy... Eu tenho que dançar pelo menos uma vez hoje. Você gostaria?’

‘Quê?’ Ela levantou as sobrancelhas. “Coméqueé?”

‘Sempre fico desconfortável em público... Detesto ser o centro das atenções.’ Ele a soltou e coçou a nuca. ‘Você é a estrela hoje, as pessoas esperam nos ver interagindo.’ Darcy mentiu. Ninguém esperava que o playboy herdeiro fizesse nada, mas ele queria dançar com Elizabeth e ela parecia o estar evitando a noite toda. Toda vez que ele conseguia descobrir onde ela estava no enorme salão de festa da cobertura, ela escapava para outro lado. Ele queria a chance de conversar com ela novamente. E possivelmente trocar mais alguns beijos, preferencialmente longe de sua família histriônica.

‘Não posso.’ Elizabeth disse.

Ele inclinou a cabeça e franziu a testa.

‘Esses sapatos.’ Ela falou sem pensar. ‘Machucam.’

Com prazer ele olhou para suas pernas tão sensuais. A pequena tatuagem tão instigante, alguma frase ou desenho intrincado em Sânscrito, ele tinha notado assim que a viu naquela noite. Não que suas pernas fossem desinteressantes quando ela usava tênis ou botas, ou mesmo em meia-calça de lã. Mas em meias de seda com sapatos altos e com a tatuagem à mostra... Uau!

‘Você pode se apoiar em mim.’ Ele sorriu novamente.

Ela se esticou.

‘Eu te guio e tiro o peso dos seus pés.’ Esticou o sorriso charmoso.
Darcy pensou estar fazendo-lhe um favor cavalheiresco, Elizabeth entendeu que ele estava dizendo que ela era gorda. Antes que ela dissesse tudo que estava na ponta da sua língua, Collins apareceu e chamou Darcy à pista de dança. Ele ofereceu seu braço à Elizabeth e ali, na varanda gelada com seus pés latejando e o sorriso forçado de Collins os aguardando, ela aceitou o convite. 

giphy
Trecho do livro ’45 dias na Europa com Sr. Darcy’. 
Obra registrada no EDA-FBN 2015 – Todos os direitos reservados.

10 - Como surgiu a ideia? (Tô louca para ler a história!!!)
Fui à Feira de Milão em 2013 a trabalho - sou arquiteta, depois esticamos lá pela Europa... Lizzy e Darcy se esbarram onde eu fui! (risos) Já queria escrever uma adaptação linear como falei acima, e aí a ideia foi se formando: light, delicadamente hot, carioca, mochila nas costas... Está fofa, você vai ver. Garanto o sorriso no seu rosto! ;)

11 - "Qual a característica mais marcante da obra da Jane para você?" (ainda não conhecia o livro!)
palnk devianart
De O&P, você diz? O que gosto mais que tudo, mais que a crítica à sociedade que massacrou as irmãs Dashwood em S&S ou a pobre Anne em ‘Persuasão’, mais que a ironia de Ms Austen, mais que tudo, gosto de Elizabeth Bennett não levar desaforo para casa! Adoro ela ser forte, mandar o esnobe riquinho plantar batatas várias vezes antes do pateta a pedir em casamento da maneira mais tosca do mundo, de curtir com a cara do primo mala e ao mesmo tempo ela ser sensível, fica decepcionada com a amiga que se contenta com um casamento triste, reconhece estar errada quando lê a carta de Darcy, e a maneira fofa como eles conversam depois que ela aceita casar com ele no fim perguntando ‘Quando você decidiu que minha impertinência era irresistível?’ – adoro! Imagino-a com um sorrisão irônico no rosto olhando para cima e ele olhando para baixo com um sorriso apaixonado.


12- Terá uma releitura da história de Wickham e Lydia?
Sim! Lydia é... Lydia! O que ela apronta!...  (suspiro) Wick está demais, lindo, comissário de bordo (imagina um comissário gato, daqueles que a gente fica sem voz para responder se quer coca ou suco), simpático, bem humorado e... maquiavélico!

10 - Deixe um recado para o pessoal da página!
Agradeço o apoio das Darcy amigas tão queridas, amo saber que consigo me explicar o suficiente para fazer outra pessoa viajar na minha viagem. Esse livro é pura fofura (e umas poucas - 4 ou 5 - cenas hot), uma releitura da minha estória de amor favorita, moderna, atual, irreverente e andarilha. Espero muito, muito que gostem tanto de ler quanto gostei de escrever. Me falem?

Agradeço sua atenção e disponibilidade em conversar com ADJA.
Adorei!

Muito sucesso

Merci!

favim