sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Amor de verão em Paraty - terceira parte

Oi Gente Fina!

Ainda no clima de verão fora de época por causa da estória do Sr Darcy e Lizzy em Paraty, estou preparando minhas malas para tão sonhadas - e merecidas - férias.

Poolga é o máximo!

Tão difícil arrumar mala... No fundo, queria levar meu armário todo para não sentir falta de nada e poder trocar de roupa 50 vezes antes de sair do quarto do hotel. Já sei! Não preciso de mala, preciso da bolsa da Mary Poppins!

Bom, a planta da varanda não preciso levar. Sobra mais espaço para os sapatos.

Tá bem, chega de bla, bla, bla... Você quer saber como foi a rave que Lizzy convidou Darcy para ir na praia, né? Lá vai.


Como William Darcy poderia ter conhecido Lizzy Bennett

classificação Adulto (+18)/relacionamentos homossexuais são mencionados 


Cenas do capítulo anterior: Will e Lizzy se encantando um com o outro, quase 'ficando'. Um cara lindo, alto e caladão. Uma garota linda, corpão e lingua afiada. Tinham tudo para dar certo. Certo?
---

Vem cá meu bem, me descola um carinho
 Eu sou neném, só sossego com beijinho 
E ve se me dá o prazer de ter prazer comigo ¹

Naquela noite, Lizzy e Darcy acharam um ao outro assim que chegaram à rave. Os dois grupos tinham feito planos de ficar juntos e acabaram escolhendo um canto menos barulhento na praia para ficar. 

Darcy ofereceu uma bebida para Lizzy, ela recusou álcool e só aceitou uma coca zero, e ele riu disso. Mesmo não sendo um dançarino muito bom, ele fez esforço para acompanhá-la quando ela quis dançar. A maneira como flertaram e dançaram um para o outro foi como um esquenta. Comportado, mas um esquenta sem dúvidas.


Quando o dj mudou para músicas mais lentas, Darcy sugeriu que aproveitassem a brisa do mar e Lizzy aceitou. Ele era lindo demais, ela estava cansada e com calor, era uma noite quente de verão carioca – ela tentou juntar justificativas na sua cabeça para evitar contrariá-lo em qualquer coisa.

Começaram andando lado a lado à beira d´água, logo estavam de mãos dadas e quando ele beijou a palma da sua palma, Lizzy tomou a iniciativa. Ela se virou e abraçou o pescoço dele, olhou em seus olhos e sob a luz da lua cheia, achou a desculpa que precisava.

Se beijaram primeiro timidamente e depois com vontade, a química entre eles era perfeita. Os beijos logo cresceram e em alguns minutos a rave estava esquecida. Encontraram um cantinho retirado perto de algumas pedras onde Darcy se recostou acomodando Lizzy entre suas pernas.

Por causa do calorão, Darcy tirou a camiseta na festa e agora Lizzy tinha total acesso para acariciá-lo. Ele fazia o mesmo nas costas dela, o quanto o top frente única bordado de lantejoulas permitia. Quando ela sentiu arrepios com a mão dele na cintura dela dentro da roupa, ele também tremeu.

Lizzy deixou que ele desamarrasse as alças do seu top e Will teve que parar para recuperar a respiração: eram os seios mais bonitos que já tinha visto. Pesados, enchiam suas mãos grandes perfeitamente, mamilos cor de vinho saudando o céu, perfeitos.

‘Perfeitos. ’ Ele sussurrou na sua boca roubando mais um beijo. ‘Você é perfeita. ’

‘E você é lindo. ’ Ela disse no ouvido dele em um beijo de liquidificador.

Darcy teve que se concentrar para não perder uma gotinha, estava a ponto de explodir. Lizzy não estava muito diferente, mas estava decidida em ficar neste limite. Uma coisa era ficar e dar uns amassos nesse cara lindo na praia, outra bem diferente era transar. Ele queria mais, mas não a desrespeitaria em hipóstese alguma, então  aproveitou ao máximo o que lhe era permitido.

Beijaram, lamberam, mordiscaram. Também riram e sussurraram elogios um ao outro sem fazer promessas, mas adorando estar juntos.

Infelizmente Lizzy ainda estava cansada da ressaca da noite anterior, então quando não pode aguentar mais, Darcy a levou até o camping por volta das três da manhã. No portão, ele lamentou ter que se despedir dela, mas não tanto quanto vê-la rearrumando seu top antes de saírem da praia.


‘Amanhã a gente se encontra às dez para tomar café e pegar o passeio para as ilhas, certo?’ Ele perguntou nos lábios dela quando se despediam. ‘Como vocês combinaram com Jane. ’

‘Onze… ’ Ela pediu.

‘Dez e meia. Te encontro na padaria. Posso pedir um espresso para você?’ Ele perguntou em um beijo de esquimó e um abraço bem apertado.

Ela concordou com a cabeça sorrindo. ‘E um queijo quente com suco de laranja. ’

‘É por isso que seu estômago é tão cruel com você!’ Ele riu. Ela franziu as sobrancelhas, torcendo o corpo para trás para olhar nos olhos dele. ‘De manhã, eu tomo um café com um bagel, no máximo. ’

‘Não tem bagel no Brasil… ’ Ela riu beijando-o no pescoço.

‘Mas aqui eu descobri pão de queijo!’ Ele comemorou.



No dia seguinte, ela chegou à padaria antes dele. Ela já estava terminando seu café da manhã quando ele veio da pousada em passadas largas, afoito e muito fofo aos olhos dela.

‘Desculpe, Lizzy. Dormi demais. ’ Ele disse e sorriu para ela muito charmoso. ‘Bom dia. ’ Cumprimentou os amigos de Meryton, lembrando um pouco tarde que ela não estava sozinha.

O restante do grupo de Seattle veio logo atrás e depois que os atrasados comeram alguma coisa rápida, foram em bando para a praia pegar as traineiras que os levariam até as escunas ancoradas perto da praia. 

Com pelo menos oitenta pessoas de diferentes grupos, o passeio oferecia muitas possibilidades de fazer novos amigos. Mas só que agora Lizzy estava ocupada. Ela e Darcy ficaram juntos o máximo possível, trocando beijocas aqui e acolá, nada quente demais ou intenso como na noite anterior, mas gostosos o suficiente para alimentar o encantamento de um com o outro.

Nas paradas, mergulhavam da escuna no mar azulzinho e quando subiam para respirar roubavam um beijo como um comercial de pasta de dente. Quando chegaram a das praias e saíram do mar para encontrar com os outros, Lizzy brincou com Darcy. Ele riu e respondeu que queria continuar usando essa marca. Ela riu de volta e esticou o braço para tirar o cabelo molhado da frente dos olhos dele.

Para os amigos, tanto os de Meryton quanto os de Seattle, ver os dois nesse chamego – Lizzy falando com Darcy através de um sorriso, o riso de resposta dele e o carinho de resposta dela – eles pareciam estar apaixonados de verdade. Não foi uma surpresa para ninguém já que haviam ficado de olho um no outro desde que se viram pela primeira vez. 

Como Thorn obviamente tentava ficar com Charlo, Dennie propôs trégua entre os Sox e os Mariners para que ela e Ricky pelo menos pudessem conversar evitando ficarem isolados.

Quando as meninas se aninharam na rede da proa para tomar sol, Darcy sentou com Bingley nos bancos laterais, procurando o ângulo perfeito para melhor admirar o corpão de Lizzy e seu biquininho listrado que estava o levando à loucura. Bingley se divertia com a situação do amigo sisudo se apaixonando pela bonita morena de quem ele não sabia nada, não conhecia a família ou suas origens, que era engraçada e tinha bom humor, que andava descalça e bebia o suficiente para ter ressaca no dia seguinte. Bingley estava certo que ela seria ótima para seu amigo.


Aquela tarde e noitinha, nem Darcy, nem Lizzy passaram com seus amigos; passaram juntos na Praia do Meio curtindo o mar, conversando e conhecendo a vida e o corpo um do outro.

‘Eu adoro esse seu biquíni, gata.’ Elogiou quando ela sentou ao lado dele na areia depois de devorá-la com os olhos enquanto ela vinha da água. Estavam usando o apelido em Português substituindo o ‘Babe’ em Inglês desde que ouviram um casal meloso chamado um ao outro assim no passeio das cachoeiras. O que mais gostaram foi que assim como babe, gata podia ser usado para os dois, gata para ela e gato para ele. Felinos, que fofo.

‘Obrigada!’ Ela sorriu procurando algo na bolsa. ‘É brasileiro, eu comprei aqui. Depois do primeiro dia de praia eu achei que o meu era tão feio, grandão... ’ Deu de ombros.

‘Esse é perfeito para você, fica deliciosa nele. ’ Mal disfarçando a cara de lobo mau.

‘Eu ia adorar te ver numa sunga brasileira… ’ Ela provocou.

Ele sacudiu a cabeça. ‘Aquelas coisas apertadas? Não. Especialmente se é para ficar do lado desse seu biquíni. Shorts largos são os mais indicados para minha privacidade. ’ Ele sacudiu a cabeça de novo e ela corou. Ele também acabou corando, mas não tinha necessidade de pedir desculpas, ela já tinha sentido e acariciado seu bunchage mais de uma vez, aumentando seu prazer e desespero. ‘Você pode olhar para mim da maneira que quiser, quando quiser, mas vai ser só para os seus olhos. ’

Dividiram um sorriso maroto, sensual, privado. Praia quase vazia, sentiam-se protegidos como em uma bolha de invisibilidade. Passar tempo juntos já lhes era confortável o suficiente para ficar em silêncio.

‘Amanhã já é Ano Novo…’ Disse despretenciosamente enquanto penteava o cabelo sentada ao lado dele. Ele concordou deitado de olhos fechados enquanto acariciava as costas dela pertinho da tatuagem. ‘Você tem planos, quero dizer... O que você e o pessoal combinaram?’ Ela queria passar com ele, mas sentia-se constrangida em perguntar porque sabia que o que havia planejado e cabia em seu orçamento não era para mauricinhos como ele.

‘Quais são os seus planos? Quero passar com você. ’ Ele respondeu distraído, admirando a tatuagem dela.

‘Ver os fogos da praia. Vai ter um churrasco no camping antes da meia noite... ’

‘Gata, deita de costas, por favor. ’

Ela deitou,sorrindo e ele se inclinou sobre ela passando os dedos na sua lombar logo acima do biquíni. ‘Lizzy, vamos lá ao estúdio de tattoo reclamar. Sua tatuagem está apagando. ’

Ela riu. ‘Deve estar mesmo. É henna!’

‘Henna?’

‘É, tatuagem temporária. Quando eu chegar em casa já não vou ter nada. Daí minha mãe não vai precisar ter uma crise de nervos com minha tramp stamp. ’ Ela fez uma careta, mas estava adorando os carinhos na lombar. ‘ Desapontado?’ Ela flertou.

‘Não… ’ Darcy franziu as sobrancelhas. ‘Mas eu gosto da sua tattoo, é divertida... E espirituosa, como você. ’ Ele debruçou sobre ela um pouco mais e beijou a tatuagem a fazendo ter um calafrio tão forte que Darcy sentiu e riu satisfeito.

Ficaram em silêncio novamente, ele sentado olhando o movimento do mar, ela descansando os olhos deitada de bruços. Seus pensamentos embalados pelo barulho do mar - ora com efeito calmante, ora inquietante - Lizzy começou a ficar com medo que Darcy estivesse para lhe dar o fora e perguntou de novo sobre o Réveillon.

‘Vai ter uma festa no resort que a gente iria ficar, aquele que te contei.’ Ele deitou para olhar Lizzy nos olhos e cruzou os braços atrás da cabeça. Ela concorou, se lembrava bem da estória do resort. ‘Quero que vá comigo. Vamos?’

‘Ia adorar, mas vim com meus amigos, então...’ Ela disse desencorajada e olhou para baixo. Que droga, o cara lindo e gostoso estava escapando dela e não tinha remédio. Não que ela quisesse um namorado... depois de terminar com Bill pela terceira vez, andava de saco cheio de namorados, havia decidido dar um tempo... E Darcy estava de mudança para Inglaterra de qualquer maneira.

‘Charlo e Dennie também estão convidados, Lizzy. Quero mesmo passar o Ano Novo com você. ’ Ela ainda parecia duvidar. ‘Estava falando nisso com os caras hoje pela manhã. Podemos levar um convidado cada e eu queria convidar você, Thorn e Ricky logo se ofereceram para convidar Charlo e Dennie. Acho que não foi esforço nenhum para eles, na verdade.’

Lizzy riu, mas ficou pensativa. ‘Vou falar com eles. Adoraria. De verdade.’ Darcy se virou sobre ela para roubar um beijo, depois vários beijinhos que cresceram para beijos quentes e logo ela estava deitada sobre ele sob a luz inspiradora do crepúsculo na praia praticamente deserta. Ela teve que fazer uma ginástica para evitar que as mãos dele mergulhassem dentro da sua calcinha, mas seu joelho no bunchage dele e as mãos dele nos seios dela eram necessários, indispensáveis, essenciais.



O último dia do ano, nem Darcy, nem Lizzy conseguiu acordar cedo depois da noite longa nos bares e da pegação, então chegaram à piscina natural quando estava começando a ficar vazia para matar tempo com alguns dos seus amigos. Não haviam passeios guiados nesse dia, todos queriam se preparar para as festas de Réveillon, Cachadaço foi exclusiva deles por algumas horas.

Às nove da noite, saíram para o resort com Lizzy no carona enquanto Darcy dirigia e ele ficou maravilhado com a deliciosa sensação da mão dela na sua perna toda vez que ela virava para trás para conversar com Charles, Jane, Ricky e Dennie acomodados nos bancos de trás.

Três casais amigos prontos para romper o ano com os corações cheios de boas expectativas. E amores de verão.

continua na última parte aqui...
¹ - Lança perfume - Rita Lee 

---

E eles estão juntos! O que lhes reserva essa festa de Revéillon? 
Última parte promete...

Obrigada por seguir essa fanfic. Pode comentar, vou adorar ler sua opinião!
bj

Aviso: imagens do google, com algum trabalho meu de edição. Fic minha, até registrada! Uhu!