sexta-feira, 27 de julho de 2012

Amor de verão em Paraty - segunda parte

Oi, oi, oi!

Estou aqui curtindo o verão, digo, inverno no Rio. Pelo menos 30º, caramba!

Darcy congela novela das oito
E quem não quer largar tudo e ir para praia, né? Nossa, nada mais gostoso que matar tempo na praia, no meio de um dia de semana. Mmmm...

Adoro ser turista... Mas como aqui no Rio de Janeiro eu sou local e não turista só posso suspirar de inveja quando vejo gringos vermelhinhos como camarão no metrô, carregando suas indisfarçáveis garrafas de água de 1,5lt. 

luggage Elizabeth Bennet
Olha a mala da Lizzy... Quero dizer, a bagagem da Lizzy... Vc entendeu, né?

Pelo menos posso escrever sobre Mr Darcy e Lizzy sendo turistas aqui pelas nossas bandas. Yay! 

Como prometi, segue a segunda parte da estória do amor de verão de Mr Darcy e Lizzy. Serão 4 partes, a primeira postada na semana passada e as outras duas nas próximas semanas. Espero que esteja gostando.


Como William Darcy poderia ter conhecido Lizzy Bennett

2ª parte (unbeataed)
clique aqui para 1ª parte
classificação Adulto (+18)/relacionamentos homossexuais são mencionados 


vacations sexy Bennet
Olha a Lizzy aí na Tirolesa, curtindo todas em Paraty e Trindade.
Cenas do capítulo anterior: Will e Lizzy acabaram de se conhecer por acaso em Trindade, Paraty -RJ. Infelizmente ele falou demais e ela ouviu, o que criou um mal estar entre eles apesar da óbvia atração que sentiram. Agora eles estão prestes a se conhecer formalmente. Será que Darcy vai conseguir desfazer mais esse mal entendido?

O grupo de Seattle está de molho na piscina natural do Cachadaço e de repente os amigos de Meryton aparecem saindo da mata às gargalhadas.
---


 Luz do fim de tarde¹
Meu rosto encontra a luz
Não posso compreender
Não faz nenhum efeito


Jane, sempre preocupada com o bem estar alheio, tentou começar uma conversa. Ao ver Charlo alvo de deboches e picadas ela nunca conseguiria resistir à tamanha oportunidade de ajudar. ‘Puxa vida, sinto muito... Você está se sentindo mal?’

‘Meu orgulho está mais ferido do que qualquer outra coisa.’ Charlo respondeu franzindo o rosto numa careta quando sentou um pouco afastado de Jane na enorme piscina natural sentindo o arde e cura da água do mar no seu traseiro prejudicado. ‘Para falar a verdade, dói um pouco sim...’ Gemeu.

‘Você não viu o formigueiro?’ Jane perguntou em voz preocupada pensando em como poderia ajudar esse estranho que de alguma maneira lhe era familiar. Afinal de contas, os dois tinham a língua materna em comum nessa terra estrangeira.

‘Não, tinha um monte de folhas e eu decidi sentar numa pedra…’ Mas antes que Charlo pudesse se explicar, Lizzy chegou perto rindo e abanando o rosto com sua camiseta em uma tentativa vã de espantar o calorão.

‘Ele estava distraído, curtindo com a nossa cara!’ Falou em uma risadinha irônica sentando perto de Charlo nas pedras em volta da piscina.

‘Elas estavam fazendo corpo mole!’ Charlo reclamou igualzinho a uma criança mimada fazendo queixa dos amiguinhos para a professora enquanto Dennie explodia em riso.

Jane riu com eles também; os três amigos eram muito engraçados. Devem ser amigos há um tempão, ela pensou. Lizzy ficou contente que a loura bonitinha estava pelo menos tentando ser simpática com eles; e nessa viagem Lizzy estava disposta a fazer novos amigos, conhecer tantas pessoas novas quanto possível. O grupo de mauricinhos espalhados ao redor da piscina nem tentou falar com os amigos de Meryton, só o lourinho pelo menos sorria para eles.

‘Sou Lizzy, aquela ali tirando os tênis é Dennie, e esse bundão é Charlo. Somos Americanos. ’

‘Na verdade sou Inglês, mas Americano de coração. ’ Charlo disse num sorriso.

‘Ai, que bom! Nós somos Americanos também! De onde vocês são?’ Jane ficou encantada em descobrir que eles realmente eram mais próximos dela do que os outros estrangeiros nesse paraíso exótico.

‘Meryton, Massachusetts. Já ouviu falar?’ Lizzy perguntou sorrindo.

‘Desculpe, não. Conheço Boston. E Nova York. ’ Jane disse se desculpando.

‘Isso aí, Costa Leste!’ Lizzy tenotu ser simpática fazendo esforço para não franzir as sobrancelhas bem feitas.

‘Eu sou Jane, esse homem lindo aqui é meu namorado Charles. ’ Ela falou olhando para Bingley e acariciando seu rosto.

‘Fala, Celtics!’ Bingley disse no sorriso contagiante que era sua marca registrada se referindo ao time de basquete.

Dennie que entrava na piscina e sentava do outro lado de Charlo franziu as sobrancelhas indignada. ‘Red sox, faz favor!’ Para ela, Bingley citar basquete e não baseball era como um xingamento.

Lizzy se acomodou na pedra mesmo e tirou seus tênis e meias rindo com Jane e Charlo.

Jane continuou. ‘O moreno alto lá no fundo é Will; o fantasma pálido ao lado dele é seu irmão Ricky...’

‘Mariners aqui!’ Ricky gritou virando a cabeça para mostrar o emblema em seu boné e Darcy balançou a cabeça sem sorrir nem tirar os óculos escuros. Estava indeciso entre chegar perto e se desculpar ou se acovardar e ficar onde estava na esperança de que morena linda não o reconhecesse. Ele a reconheceu instantaneamente.


‘A gente se divertiu setembro passado, né?’ Dennie sorriu de soslaio implicando com Ricky sobre a partida que seu time ganhou do deles.

Com isso, Darcy decidiu ficar onde estava mesmo, ele é que não ia pedir desculpas para ninguém que debochava do seu amado Mariners.

‘Não cante vantagem, Sawx! Tem sempre volta!’ Ricky advertiu debochando do sotaque dela e Dennie riu.

‘Então…’ Jane disse balançando a cabeça para a besteira sobre baseball. ‘... Os gordinhos aqui são Thorn de camiseta na água... ’ Ela balançou a cabeça de novo para a vergonha de Thorn em mostrar suas banhas em público, ‘e Chris. Lá daquele lado, o magricela tentando pescar como um urso é Julius. ’

‘Olá, meninas!’ Chris as cumprimentou educadamente. ‘E amigo.’ Ele disse tocando seu boné como um cavalheiro tocava sua cartola no passado.

Julius acenou do canto direito da piscina onde os peixinhos nadavam. ‘Pessoal, vocês têm que vir aqui! A gente pode ver os peixes, mesmo sem óculos!’

Apesar de todos se mostrarem muito educados, o único que chegou perto foi Thorn que logo engrenou num papo com Charlo deixando Dennie e Lizzy para conversar com Jane. Elas descobriram que tinham amigos em comum online e que tinham souberam sobre Trindade da mesma maneira.

Bingley estava contente em permanecer giboiando de olhos fechados; acariciando as costas de Jane enquanto ela estava feliz fazendo amizade com as meninas da Costa Leste. Assim as férias estavam ótimas para ele; num paraíso com sua adorada Jane.

Darcy estava hipnotizado com Lizzy, não conseguia tirar os olhos dela. A maneira como ela balançava as pernas atraentes para molhar os pés na água, como brincava com a longa trança de cabelo escuro, o sutiã de biquíni colorido e o short que ela não tirava. Só os óculos escuros redondos tipo Lennon o aborreciam, ele queria estudar a bela expressão de seus olhos negros da mesma maneira que estudava sua boca enquanto ela falava ou ria. E ela ria à beça.

‘Distraído, general?’ Ricky perguntou usando o apelido de infância, quando Darcy era um menino sisudo lhe dando ordens.

‘É… Lembra que eu te contei do meu fora e que uma princesa tinha me ouvido?’

‘Xinxeiros!’ Ricky falou rindo e agitando água em volta dele.

‘É ela. E fala baixo.’ Darcy cochichou entre os dentes, ocupado em observar Lizzy se inclinar para frente para sussurrar alguma coisa no ouvido do Charlo, que explodiu em uma risada.

‘A loira alta ou a morena gostosa?’ Ricky perguntou, balançando as sobrancelhas.

‘A deusa de biquíni listrado. ’

Elizabeth Bennet Darcy sexy bikini

A entonação tanto quanto a expressão que Will usou fizeram Ricky virar a cabeça para olhar diretamente para ele. ‘Deusa?’ Ricky perguntou levantando as sobrancelhas. ‘Talvez você devesse oferecer um sacrifício para ganhar o perdão dela!’ Ele fez graça.

Darcy considerou a idéia.

Logo em seguida o barqueiro chegou para levar os caras de Seattle de volta e ele não gostou de deixar as belas curvas emolduradas no biquininho de dar água na boca para trás. Para seu aborrecimento ela só tirou o shortinho preto quando eles já estavam entrando no barquinho, então a única coisa que Darcy conseguiu ver foi um vislumbre dos lacinhos que seguravam a calcinha aos quadris dela.


Mais tarde naquele dia, os amigos de Meryton se juntaram aos novos amigos que fizeram no camping para um fim de tarde e noite em Paraty. O casal de Indianos tinha ouvido falar de um restaurante típico da sua terra no Centro Histórico e convidaram Lizzy, Dennie e Charlo para experimentar.

Foi um programa maravilhoso. As ruas e prédios coloniais, o passeio de charrete, as pessoas bronzeadas, boa música nas ruas, bons drinks: tudo ótimo.  E foram apresentados à caipifruta vendida em barraquinhas na rua. Primeiro Dennie provou de kiwi, Charlo de abacaxi e Lizzy de morango; na segunda rodada eles provaram uva verde, goiaba e maracujá enquanto os Indianos não saíram do limão. Todos ficaram tentados à uma terceira rodada, mas desistiram já que a vodca doce subia rápido.


Os caras de Seattle acomodaram-se no mesmo bar da noite anterior, preguiçosamente aproveitando a brisa morna vinda do mar. Mas, vendo Darcy amuado, Jane decidiu intrometer-se.

‘Você está ainda mais calado do que de costume, amigo.’ Disse na sua maneira amável.

‘Estou, amiga?’ Darcy sorriu achando graça na sua doce e leal amiga de tantos anos.

‘Tá, sim… Será que é por causa da minha nova amiga de infância, Lizzy a Yallie?’ Ela perguntou num sorriso de lado.

‘Yale, é mesmo?’ Darcy levantou as sobrancelhas surpreso (e satisfeito) em saber que sua deusa era de uma universidade tão boa. ‘Vocês conversaram à beça, pareciam mesmo se conhecer. ’

‘Ela é muito simpática; você deveria tentar falar com ela ao invés de ficar só encarando. ’ Jane implicou tomando um golinho da sua cerveja.

‘Tão óbvio assim? Você acha que ela percebeu?’ Darcy inquietou-se na sua cadeira, de repente preocupado.

‘Uma garota percebe quando um cara fica interessado, especialmente um cara alto e bonitão com você. E... Ela estava curiosa sobre você... ’ Jane sorriu.

 ‘Nem tenta ser malandra, Jayjay. Você não sabe fazer isso.’

Jane deu uma risadinha. ‘Ela me perguntou se você estava puto de estar aqui porque você está sempre de mau humor, franzindo a testa. ’ Jane deu de ombros. ‘Eu só não sei de onde ela tirou que você estava de mau humor. ’

Darcy franziu a testa realmente contrariado. Ele tinha achado que ela não o tinha reconhecido, mas parecia que sim - muito bem.

‘De qualquer maneira, eles não estão aqui hoje. ’ Jane continuou. ‘Lizzy, Dennie e Charlo. Eles foram jantar no Centro Histórico de Paraty. ’

Darcy bufou infeliz com sua má sorte, mas Thorn estava ligado na conversa deles. ‘Vamos também, então! Genial!’ Falou como se fosse uma idéia óbvia e bateu palmas alegremente chamando a atenção dos outros.

‘Vamos também para onde, Fatman?’ Darcy perguntou irritado com a intromissão, usando o antigo apelido para aborrecer Thorn.

‘Paraty! Vamos encontrar eles lá. Eles são nossos amiguinhos agora, então...’ Ele falou maliciosamente.

Thornton mal podia esconder sua excitação em encontrar Charlo novamente e Darcy achou bastante conveniente já que não estava bem certo como se sentia sobre Lizzy. Talvez estivesse interessado nela somente porque tinha sido grosseiro e ela tinha ouvido; ou talvez porque ela fosse uma gostosa. Então, pegando carona na excitação de outra pessoa, ele incentivou o grupo a passar a noite em Paraty. Pertinho, menos de vinte quilômetros, eles poderiam chegar lá em meia hora – tempo de sobra para aproveitar a noite no Centro Histórico.

Darcy e Julius assumiram os volantes já que estavam sóbrios, e o grupo de Seattle chegou a Paraty no início da noite.

Mesmo tendo visto o mesmo show na Praça da Matriz, eles não se encontraram com os amigos de Meryton. A Praça estava lotada, assim como as ruas em volta. Como não havia mesas nos bares próximos, eles tiveram que achar um recanto na porta de uma loja de artesanato e beber de pé. Os caras de Seattle raramente bebiam alguma coisa além de cerveja, talvez se ousassem teriam visto o pessoal de Meryton nas barraquinhas de caipifruta.


Só no dia seguinte, na visita às cachoeiras, foi que Darcy encontrou Lizzy de novo.

O passeio de jipe pelas trilhas durava seis horas e passava por quatro cachoeiras e uma destilaria de cachaça, mas o cheiro da mata fechada e as curvas das trilhas não estava fazendo nada bem aos estômagos e ressacas dos amigos de Meryton. As cabeças doíam, os estômagos davam piruetas e a estradinha continuava a chacoalhar o jipe.

Quando finalmente chegaram à primeira parada, a linda cachoeira Poço das Andorinhas com sua água gelada e o constante barulhinho de água caindo, Lizzy estava praticamente passando mal. Tão enjoada e suarenta que mal percebeu outros dois jipes no mesmo local. A mão que a ajudou a passar pelas pedras para chegar à água só lhe chamou a atenção porque não soltou a sua imediatamente após ela pisar em segurança no mato.

‘Está se sentindo bem? Parece meio tonta.’ Uma voz grave perguntou perto do seu ouvido.

‘Mais ou menos… minha cabeça está meio que girando.’ Só aí que ela olhou para cima e viu o Babaca bem pertinho dela. “Will, o nome dele é Will. E ele é lindo, que voz sexy.” Lizzy pensou consigo mesma. ‘Bebi demais ontem à noite.’ Ela disse fazendo careta e engoliu em seco. 

Darcy riu. ‘Consegue andar sozinha?’

‘Sim, obrigada. Will, né?’

Ele concordou com a cabeça. ‘Lizzy’. Ele disse, ela concordou com a cabeça. E se arrependeu do movimento.

Lizzy precisou gastar uns minutos acalmando seu estômago o suficiente para tirar a legging, a camiseta, tênis e meias; e finalmente entrou na água. A força da cachoeira aos poucos limpou sua ressaca e ajudou a organizar seus pensamentos. O raio de sol filtrado pelas árvores batendo direto na piscina de água fria justo onde ela escolheu para sentar e bater papo com Jane também ajudou muito, e ali elas ficaram observando os turistas dos três jipes alegremente se esbaldando na água.

Na segunda parada, quase uma hora depois, Lizzy estava se sentindo ela mesma de novo. Somente a partir dessa hora ela conseguiu observar Darcy.

Ele a ajudou de novo, duas vezes na verdade: primeiro quando ela descia do jipe e depois com seu equilíbrio. Para chegar à traiçoeira cachoeira do Tarzan eles tinham que atravessar uma ponte de cordas sobre o rio, então Darcy aproveitou para ficar o tempo todo ao lado dela e ela adorou a atenção. Riram de nervoso quando a ponte balançou e eles quase caíram, e mais ainda quando Lizzy cantarolou o tema de Indiana Jones enquanto eles continuavam com mais cuidado.

‘Você está de bom humor hoje, Will. ’ Flertou enquanto tiravam a roupa perto da água. Lizzy estava começando a se preocupar com a segurança dos lacinhos do seu biquíni, essa cachoeira parecia ainda mais forte que a primeira.

‘Eu estou sempre de bom humor…’ Ele respondeu a atacando com todo o devastador poder de seu sorriso cativante.

‘Não parece. Ah, vai ver falta a nuvem de maresia… ’ Ela levantaou uma sobrancelha e satisfeita em viu que ele corou de vergonha.

‘Lizzy, olha só… Eu quero me desculpar por aquela asneira. Eu sei que me ouviu, não queria ser grosseiro. Estava cansado da viagem e quando chegamos, fiquei surpreso com as coisas e-’

‘Tá bem. Já chega. ’ Lizzy levantou a mão para tocar o braço dele secretamente admirando seus músculos. ‘Eu já tinha desculpado com a sua primeira frase!’ Ela riu e retirou sua mão. ‘Foi engraçado ver sua surpresa. ’

Darcy corou de novo, mas foi salvo da conversa embaraçosa por um grito vindo da ponte de corda.

Depois da visita à destilaria, eles pararam para almoçar e visitaram a terceira e quarta cachoeiras. Na cachoeira do Tobogã, as pessoas se alternavam escorregando nas pedras e Darcy conseguiu arrumar um jeito de ficar perto de Lizzy mais que uma vez. Fez questão de ajudar tanto quando ela chegava à água depois da descida, quanto quando ela estava tentando começar a escorregar.

‘Vou ter que parar de te agradecer, Will! Ou então vou fazer isso o dia todo!’ Ela falou rindo.

‘De qualquer maneira, não vou parar. ’ Ele respondeu através de outro sorriso devastador que fez o estômago dela dar pinotes de novo.

Lizzy mordeu os lábios tentando pesar prós e contras rapidamente, mas acabou decidindo em num ímpeto. ‘Hoje à noite vai ter uma rave na praia. Vocês ouviram dizer? Vão?'

Darcy achou que ela estava linda assim, mordendo os lábios que para ele pareciam tão suculentos. ‘Eu vou, se você for. ’

‘Você vai, então!’ Ela disse meio sem jeito; ele era tão lindo e estava flertando com ela... Caramba, se não fosse a água gelada ela poderia ter desmaiado! ‘Te vejo lá mais tarde então. ’ Ela sorriu, ele respondeu.


Darcy Elizabeth flirt bikini

Continua...

¹ - A fórmula do amor - Leo Jaime 

E aí? O que está achando? O charme do Sr Darcy vai convencer Lizzy?

Clique aqui para ler a 3ª parte

Comentários?


Gostou do biquini da Lizzy? Eu também. Tá na Quincy.


Te vejo na próxima parte,
bj